Maradona deve anunciar novo casamento

O ex-jogador Diego Armando Maradona continua agitando todos os locais e cidades por onde passa. Depois de chegar domingo a Buenos Aires, vindo de Cuba, onde faz um tratamento contra as drogas, o ex-jogador assistiu na segunda-feira a formatura de sua filha mais velha, Dalma, ao lado de sua ex-mulher, Claudia Villafañe. Nesta terça-feira, El Diez fez a barba e se apresentou muito bem humorado num programa de televisão, ao lado de suas duas filhas, Dalma e Giannina, e de sua ex-mulher. Além disso, ele revelou, segundo uma fonte próxima ao astro disse à France Presse, que viajou para a Argentina com o propósito de dizer a seus pais que vai se casar com sua noiva cubana, Adonay Frutos.A cubana de 20 anos, que deixou a faculdade de odontologia para cuidar de Maradona na ilha de Fidel, afirmou que esteve grávida de gêmeos do argentino, mas acabou tendo um aborto depois de cair de uma escada.Segundo a fonte anônima, o ex-jogador planeja ficar na capital argentina por 15 dias e passar algum tempo nas praias de Pinamar ou Villa Gesell, 400 quilômetros ao sul da capital. Mas antes de viajar para o litoral, Maradona quer "passar uns dias com seus pais para ver como eles recebem a notícia do casamento". A fonte também indicou que o especialista Alfredo Cahe poderia deixar de ser seu médico preferido, por exigência do Centro de Saúde Mental (Censam) de Havana, onde o argentino está internado desde 20 de setembro.Reclusão - O campeão do mundo de 1986 e vice-campeão na Copa de 90 apareceu mais magro e tranqüilo e disse estar à espera da alta hospitalar dos médicos cubanos. "Fiquem tranqüilos, estou bem. Tinha muita vontade de voltar a Buenos Aires. Estive em reclusão total, absoluta. Consegui sair uma vez, por pouco tempo, quando minhas filhas me visitaram", revelou Maradona.A fonte anônima revelou que não está certo se os médicos cubanos vão autorizar o ex-jogador a retornar seu tratamento para Buenos Aires, enquanto durar sua estadia na capital. Também não está certo se o ex-jogador será internado na clínica Suíço-Argentina, onde esteve no começo da crise antes de ser transferido para Cuba.Ainda assim, o craque não perde a esperança e acredita na boa vontade dos cubanos. "Viajei para cá (Buenos Aires) para fazer isso tudo e agora espero que os médicos me garantam a alta", concluiu o argentino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.