Arquivo/AE
Arquivo/AE

Maradona diz que tem apenas três dúvidas para a Copa

Técnico convocou mais de 100 jogadores desde que assumiu a seleção argentina no final de 2008

AE, Agência Estado

17 de abril de 2010 | 10h25

A pouco menos de dois meses para o início da Copa do Mundo, o técnico Diego Maradona revelou que tem apenas três dúvidas da lista de 23 jogadores que convocará para a competição na África do Sul. Segundo o treinador, apesar de ter chamado mais de 100 nomes desde que assumiu o comando da seleção argentina, no final de 2008, o time titular e os convocados já estão praticamente definidos.

"Já tenho confirmado 20 dos 23 nomes que viajarão para o Mundial", confirmou Maradona na noite desta sexta-feira, em entrevista à Rádio FM Metro, de Buenos Aires. "Mas serão titulares os que estão 100% fisicamente", ressaltou o treinador, que depois deu detalhes sobre a possível formação titular da Argentina na Copa.

No meio de campo, Maradona garantiu que "os titulares são Jonás (Gutiérrez) e (Angel) Di María". Já na defesa, o técnico acenou com a mesma formação que escalou no amistoso contra a Alemanha, no início de março, com uma linha de quatro composta por Nicolas Otamendi, Martin Demichelis, Walter Samuel e Gabriel Heinze. "Acho que vou jogar assim, são os que me dão mais garantias atrás", justificou.

Além disso, Maradona também citou alguns nomes que certamente estarão na lista final, como Javier Mascherano, Juan Sebastian Verón, Carlos Tévez e Lionel Messi, garantindo ainda a presença de Sergio Agüero, que era dúvida no concorrido ataque argentino. Assim, a única vaga restante na frente deve ser disputada entre Diego Milito, da Internazionale de Milão, e Martín Palermo, do Boca Juniors.

"Estou muito tranquilo, sabendo que os garotos que tenho na cabeça estão indo muito bem e que graças a Deus não há lesionados. Isso é o mais importante", comentou Maradona. "O Mundial dura um mês e temos que ter jogadores que ocupem várias posições", concluiu o ídolo argentino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.