Maradona diz que vaias da torcida 'doeram na alma'

Ex-jogador do Boca Juniors e atual técnico da seleção argentina, Maradona afirmou nesta quarta-feira que "doeu na alma" as vaias recebidas dos torcedores do Boca, que criticaram o ídolo no domingo por não ter convocado o meia Riquelme para os jogos da Argentina nas Eliminatórias da Copa do Mundo.

AE, Agencia Estado

19 de março de 2009 | 00h08

"Me doeu na alma que alguém tenha me chamado de traidor", declarou Maradona à Rádio Mitre. Riquelme recusou a convocação na semana passada após receber críticas do maior ídolo do futebol argentino sobre as suas atuações no Boca.

"Não esperava aquela reação das pessoas, mas não as culpo. O jogador sempre terá a razão, porque é ele quem dá a satisfação à torcida. Não vou entrar em uma guerra que não serve para ninguém", explicou Maradona.

O técnico da seleção, que fará a sua estreia no comando da equipe em competições oficiais no dia 28, também disse que não guardará rancor da torcida por causa das vaias. "A última coisa que faria em minha vida seria ter rancor dos torcedores do Boca. Podem gritar o que quiserem", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.