Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Maradona é amarrado na cama pelos médicos

Maradona teve nesta terça-feira mais um de seus costumeiros ataques de ira. A reação dos médicos da Clínica del Parque, onde ele está internado desde domingo, foi a de imobilizá-lo. Assim, o ex-jogador foi amarrado na cama pelos enfermeiros. A informação foi divulgada pela agência AFP, citando fontes próximas ao astro argentino.Nos últimos dias, sofrendo a síndrome de abstinência de drogas, Maradona teve diversos acessos de fúria. Na quinta-feira passada, quando acordou na Clínica Suíço-Argentina depois de ter passado mal por causa de uma indigestão alimentar, ele ficou nervoso e exigiu sair dali.Diante da negativa de sua ex-esposa e seu irmão, que estavam na UTI com ele, Maradona enfureceu de vez. Informações extra-oficiais indicam que ele teria empurrado os dois. Logo em seguida, tentou destruir os móveis da sala. Na ocasião, Maradona chegou a sair no corredor da clínica e, no meio do delírio, "via" táxis, aos quais acenava para detê-los. Não conseguindo parar nenhum dos veículos que "enxergava", ficou mais irritado ainda.Dias antes, na primeira internação na Clínica Suíço-Argentina, insatisfeito com a comida do hospital, exigiu comer churrasco. Quando lhe comunicaram que teria que seguir a dieta, derrubou os pratos no chão. Nessa mesma época, os constantes gritos de Maradona estavam acabando com a paciência dos outros pacientes, que exigiam a remoção do turbulento ídolo do lugar.Maradona, com síndrome de abstinência ou não, é um homem de tensas relações sociais. Ele não aceita conselhos e faz o que quer. Em diversas ocasiões agrediu jornalistas que o tentavam entrevistar. Em meados dos anos 90 chegou a disparar com uma pequena espingarda sobre um grupo de repórteres que o esperava na saída de um sítio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.