Rashide Frias/AFP
Rashide Frias/AFP

Maradona é punido por declarações em favor de Maduro e contra Trump

O atual treinador dos Dorados de Sinaloa, do México, fez os comentários após partida da segunda divisão do Campeonato Mexicano

EFE, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 04h05

CIDADE DO MÉXICO - O argentino Diego Armando Maradona foi punido nessa segunda-feira, 8, por apoiar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e criticar o mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump. O atual treinador dos Dorados de Sinaloa, do México, fez os comentários após partida da segunda divisão do Campeonato Mexicano.

"Diego Armando Maradona, diretor-técnico do clube Dorados de Sinaloa, é punido com uma multa financeira por violar os artigos 7 e 11 do Código de Ética da Federação Mexicana de Futebol", informou o comunicado emitido pela Comissão Disciplinar.

Na entrevista coletiva após a partida contra o Tampico Madero, no dia 31 de março, o astro argentino dedicou a vitória ao líder venezuelano e criticou Trump. Com isso, violou a lei segundo a qual todos os membros do futebol profissional no México não podem fazer comentários políticos.

"Quero dedicar a vitória a Nicolás Maduro e a toda Venezuela que está sofrendo, pois os xerifes do mundo, que são os ianques, acreditam que podem nos conduzir porque têm a maior bomba do mundo", disse. Como resultado, no último dia 3, um processo de investigação foi aberto a pedido da liga.

É a terceira vez que Maradona é multado por conta de suas declarações. Como regra geral, o astro argentino critica os árbitros, como fez na última sexta-feira, no empate em 1 a 1, com o Mérida, onde a arbitragem não teria marcado um pênalti para cada lado, mas o treinador queixou-se de ter sido prejudicado.

Maradona insinuou que há uma campanha contra ele e deu a entender que não ficará no Dorados após a competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.