S.Dal/Reuters
S.Dal/Reuters

Maradona está perto de dirigir equipe em Dubai, diz imprensa argentina

Argentino estaria negociando contrato com o 'Al Wasl', dos Emirados Árabes Unidos

Efe,

15 de maio de 2011 | 03h22

BUENOS AIRES - Diego Maradona está muito perto de dirigir a equipe Al Wasl de Dubai, informa a imprensa argentina, que recolhe versões a respeito de próximos ao ex-técnico argentino. "Diego negocia um contrato milionário em Dubai", é a manchete do jornal Clarín em seu site, e indica que está "negociando" sua vinculação com a equipe do clube fundado em 1960, campeão da liga dos Emirados Árabes Unidos 2006-2007, e da Copa Presidente em 2007.

 

"Isto é um paraíso", disse Maradona quando chegou no sábado a Dubai, assegura o jornal ao se referir à visita de "Pelusa" a um dos sete Emirados Árabes Unidos procedente da Chechênia, onde participou de um jogo de ex-craques do futebol. O Clarín assinala que uma fonte próxima a Maradona afirmou que já tinha assinado um contrato, mas que outras versões indicam que segue negociando.

 

O La Nación diz: "Destino Dubai: Maradona volta a ser técnico" e destaca que "Diego esteve presente no sábado no treino da equipe no Zabeel Stadium, onde joga habitualmente perante cerca de 18 mil espectadores".Segundo o jornal, em princípio Al Wasl "teria oferecido a Maradona comandar a equipe na Premier League dos Emirados Árabes.

 

"Diego com turbante?" se pergunta o esportivo Olé, anunciando "a visita de Diego a Dubai, onde poderia assinar um interessante contrato por dois anos".

 

Maradona foi técnico de futebol entre o final de 2008 e o término da Copa do Mundo da África do Sul 2010. Seu vínculo com a Associação do Futebol Argentino (AFA) acabou, segundo o treinador, quando o presidente dessa entidade, Julio Grondona, pôs como condição para a renovação de seu contrato que ele mandasse embora vários de seus colaboradores.

Tudo o que sabemos sobre:
MaradonaDubaifutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.