Maradona garante que é inocente

Na volta para casa, Maradona deu uma entrevista coletiva para explicar o dia conturbado que teve no Brasil. Depois de ficar detido nesta quinta-feira no aeropoto do Rio, acusado de desacato à autoridade, o ex-jogador argentino desembarcou à noite em Buenos Aires. E garantiu ser inocente.Maradona visitou o Brasil para participar do jogo beneficente organizado por Zico na quarta-feira à noite, no Rio. Mas se envolveu em confusão na manhã desta quinta, quando se preparava para voltar para a Argentina. Ele e mais 4 amigos perderam o vôo da TAM para Buenos Aires e, segundo a acusação, discutiram com funcionários da empresa aérea, arrombaram duas portas na área de embarque e xingaram agentes da Polícia Federal.?Já tínhamos passado pela alfândega e, de repente, apareceram cinco policiais armados. Eu não entendi nada. Um deles me disse que estávamos fazendo estragos e eu lhe disse: ?Estou sentado??, contou Maradona, na entrevista em Buenos Aires. ?Se eu tivesse feito algum estrago, não estaria aqui agora.?Maradona admitiu apenas um erro durante toda a confusão. "Tinha um policial que ficava me apontando a arma o tempo todo e chegou a colocá-la no meu pescoço. Ali reconheço que me excedi ao lhe dizer: ?Atira puto, se todos abaixaram a arma e você segue apontando ela para mim... Vai me matar porque perdi o avião??", revelou o argentino. "Foi aí que me autuaram por desacato à autoridade."Apesar de toda a confusão no aeroporto do Rio, onde chegou por volta das 7 horas e só conseguiu sair às 16 horas, Maradona revelou que não se arrepende de sua visita ao Brasil. "Isto não estraga tudo de bom que fui fazer lá e não é culpa dos brasileiros, porque há idiotas em todos os lugares", afirmou o astro do futebol argentino.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2005 | 22h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.