Arquivo/AE
Arquivo/AE

Maradona gostaria de contar com Kaká na seleção argentina

'Eles também gostariam levar Messi para a seleção brasileira', disse o técnico, antes do jogo pelas Eliminatórias

EFE

26 de agosto de 2009 | 10h13

Antes do clássico pela 15.ª rodada das Eliminatórias da Copa, entre Argentina e Brasil, o técnico Diego Maradona afirmou que gostaria de contar com o meia Kaká, justamente o adversário de 5 de setembro, em Rosário. O ex-jogador disse ainda que esse duelo é "comparável a uma final de Liga dos Campeões".

 

Veja também:

linkJosué é cortado da seleção por conta de lesão no joelho

Eliminatórias - tabela Classificação | lista Tabela

especial Eliminatórias: mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Do Brasil, gostaria de ter Kaká, oferece desequilíbrio, e, se fosse o contrário, eles gostariam de ter Messi, certamente", disse. Maradona, que estreará no grande clássico com a ida à Copa do Mundo de 2010 em jogo. Sua seleção ocupa a incômoda quarta colocação, com 22 pontos. A seleção brasileira é líder com 27.

 

"Eles têm o futebol alegre e vistoso, enquanto nós temos garra e muito bons jogadores. Eu digo que aqui não há melhores, estamos os dois, cabeça a cabeça. É preciso levar em conta que os dois dão muitos jogadores ao futebol mundial", disse Maradona, no site oficial da Fifa.

 

O QUE ELE DISSE
Técnico da seleção argentina

Diego Maradona

"O Brasil tem futebol alegre e vistoso, enquanto nós temos garra e muito bons jogadores"

"É um clássico sul-americano comparável a uma final de Liga dos Campeões"

"Joguei dez anos no futebol europeu, e Pelé jogou no futebol sul-americano"

" Buscamos a classificação à Copa do Mundo nesta partida"

Para Maradona, é "um clássico sul-americano comparável a uma final de Liga dos Campeões ou uma final de Eurocopa". Sobre a comparação histórica com Pelé, Maradona comentou: "eu joguei dez anos no futebol europeu, e Pelé jogou no futebol sul-americano. Apesar de ter ganhado Mundiais, jogar na Europa é outra coisa".

 

"Embora nem por isso eu seja muito melhor do que ele nem nada pelo estilo. Peguei uma época do futebol espanhol e do futebol italiano que os marcadores eram cães de caça. Tive que enfrentar a morte!", acrescentou.

 

"Pelé tinha Coutinho e Rivelino, que para mim estão lá em cima. E depois tinha Jairzinho, Clodoaldo, Gérson, Tostão. Tinha monstros. Mas o importante é que houve uma votação do povo e o deixei em segundo. Isso ninguém vai me tirar. E, no Brasil, houve outra votação na qual também ficou em segundo, atrás de Ayrton Senna. Então, que pare de ser segundo!", comentou Maradona.

 

O atual técnico da Argentina avaliou o futebol mostrado pelo Brasil na recente Copa das Confederações, da qual os brasileiros saíram campeões.

 

"Jogou muito bem. Acho que custou encontrar a volta do lado esquerdo, onde testou com Kléber, (André) Santos e até com Daniel Alves. Por isso, acho que agora Dunga convocará Marcelo, do Real Madrid", disse.

 

"Mas Felipe Melo esteve muito bem, assim como Luís Fabiano e Kaká. Maicon é um trator, e Robinho sempre que tem a bola e vai para a frente mira nos olhos. É uma equipe dura", disse. O técnico argentino quis fazer uma aposta sobre o resultado do jogo de 5 de setembro.

 

"Não acredito nisso de adivinhar resultados. Mas o que posso dizer é que nós buscamos a classificação nesta partida", concluiu.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.