Maradona: Mancuso culpa brasileiros

O ex-jogador Mancuso deu uma nova versão sobre os incidentes envolvendo Maradona no aeroporto Internacional do Rio de Janerio, na manhã desta quinta-feira, quando o ídolo argentino acabou preso pela Polícia Federal. ?Foi uma coisa incrível. Insólita. Nós chegamos ao aeroporto, fizemos os procedimentos normais no balcão e saímos para fazer compras. Quando voltamos para o embarque, os funcionários nos bateram com a porta na cara. A partir daí, a reação foi uma conseqüência. Pedimos explicações e o empregado da TAM (a companhia aérea) chamou a polícia, que nos abordou com armas nas mãos. Um policial apontou uma arma para Diego, que ficou descontrolado?, contou Mancuso em entrevista a uma emissora de rádio de Buenos Aires. Mansuco desmentiu que o jogador tivesse sido submetido a exames de dosagem alcoólica. O Delegado da Polícia Federal Marcelo Nogueira contou que Maradona foi autuado por desacato à autoridade. Segundo ele, Maradona xingou um agente da Polícia Federal depois de sido impedido de embarcar.Duasdas quatro pessoas que acompanhavam o ex-jogador foram autuadas pordano, já que arrombaram duas portas do terminal de embarque do AeroportoInternacional Antonio Carlos Jobim. Nogueira informou que o grupofez o chek in uma hora antes do embarque mas teria perdido o vôo porqueconfundiu o terminal de embarque. Ao chegarem ao local correto, aaeronave já estava preparando a decolagem e eles foram impedidos deembarcar por funcionários da TAM, que, por conta do tumultocausado, pediram apoio da Polícia Federal. O delegado não confirmou seMaradona estava alcoolizado e explicou ter liberado a equipe de peritos doInstituto Médico Legal (IML) porque o jogador, assim como os outrosdo grupo, se negaram a fazer o exame de embriaguez. A pena para danose desacato é de seis meses a três anos. De acordo com Nogueira,Maradona comprometeu-se a prestar esclarecimentos à Justiça brasileiraquando o caso for julgado, mas a informação não foi confirmada peloconsulado-geral da Argentina. Maradona permanece na área vip daAerolíneas Argentinas e embarca em vôo direto para Buenos Aires às16 horas. A princípio ele deveria viajar para São Paulo e, de lá, seguir para a Argentina. As cenas do tumulto foram gravadas pelo circuito interno detelevisão.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2005 | 13h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.