Maradona passa mal após jogo no Rio

Depois do jogo festivo que participou por 68 minutos, no Centro de Futebol do Zico, o ex-craque argentino Maradona sentiu-se mal. Ao deixar o gramado, sentou-se à frente do vestiário e teve dificuldade de falar.Depois, começou a se mover de um lado para o outro rapidamente, preocupando seus amigos e o anfitrião da festa, Zico.Maradona ficou cerca de uma hora sentado num banco abanando-se com uma toalha. Ele falava pouco e evitava se levantar. Em seguida, pediu aos amigos um charuto.A presença do jogador causou um tumulto entre as pessoas que não puderam entrar, já que a capacidade do estádio é de 2.000 pessoas. O Jogo das Estrelas foi um evento beneficente promovido por Zico, que reuniu jogadores em atividade e ex-craques. O ingresso era um quilo de alimento não-perecível.Participaram da festa o meia Carlos Alberto, do Corinthians, além de estrelas do passado como Djalminha, Renato Gaúcho, Adílio, Andrade, Júnior, Jorginho, Bebeto, entre outros. O craque não tinha saído do quarto até o início da noite de ontem. Ficou descansando. "Ele não tomou café, nem almoçou. O Maradona gosta de dormir tarde", declarou o ex-jogador do Flamengo, Mancuso, que agora cuida das atividades esportivas de Maradona. "É a única vez que ele fez algo de graça. Não cobrou cachê para vir ao Rio. Ele é amigo do Zico, por quem tem um respeito enorme." Os italianos Piccolo Mario, de 30 anos, e Bardau Michael, de 24, ambos torcedores do Napoli, clube pelo qual Maradona brilhou, chamaram a atenção. O primeiro vestia a camisa do Boca Juniors, time de coração de Maradona, e o segundo, a do Napoli. Há três dias, eles passam férias no Rio. Não tiveram dúvida quando viram na televisão que Maradona estava hospedado num hotel próximo à residência alugada por eles. "Maradona não é craque, é Deus. Na cidade de Napoli existem três maravilhas: a pizza, o mar e Maradona", declarou Piccolo, que entoava cantos em homenagem ao ídolo argentino. Com um pôster do craque em mãos, o estudante de história da Faculdade Gama Filho, William Sebastian, deixou o patriotismo de lado e declarou: "Ele foi até melhor que o Pelé". Na Argentina, um grupo de fãs de Maradona lançou uma campanha pedindo que o ex-jogador atue pela seleção pelo menos cinco minutos na Copa de 2006. Os fãs criaram um site (www.eldiezal2006.com.ar) pedindo que internautas entrem na campanha. Até o meio da tarde de ontem, o site já contabilizava mais de 2.300 adesões de mais de 20 países (nenhuma do Brasil). "O objetivo é conseguir mais de um milhão de pedidos e depois enviar um pedido formal para a Associação de Futebol Argentino", disse o criador do site, Raul Champredone. "Depois da recuperação que Diego conseguiu em seu estado físico e de saúde, seria fantástico vê-lo de novo em campo defendendo a Argentina", completou.

Agencia Estado,

21 de dezembro de 2005 | 23h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.