Maradona provoca Pelé às vésperas de jogo com Brasil

O técnico Diego Maradona voltou a provocar Pelé e a acirrar a rivalidade entre Brasil e Argentina, poucos dias antes do confronto entre as duas seleções. Em entrevista publicada nesta quarta-feira pelo site oficial da Fifa, Maradona lembrou a votação pela internet da entidade em que superou Pelé como melhor jogador do último século, e ainda citou uma pesquisa popular no Brasil em que o tricampeão de Fórmula 1 Ayrton Senna teria derrotado Pelé como maior ídolo nacional.

AE, Agencia Estado

26 de agosto de 2009 | 15h05

"O importante é que houve uma votação do povo e o deixei em segundo. Isso ninguém vai me tirar. E, no Brasil, houve outra votação na qual também ficou em segundo, atrás de Ayrton Senna. Então, que pare de ser segundo!", provocou.

Maradona ainda comparou as épocas em que os dois atuaram e afirmou que Pelé encontrou mais facilidades. "Eu joguei dez anos no futebol europeu, e Pelé jogou no futebol sul-americano. Apesar de ter ganhado Copas do Mundo e tudo... mas jogar na Europa é outra coisa", disse o argentino.

"Peguei uma época do futebol espanhol e do futebol italiano que os marcadores eram cães de caça. Tive que enfrentar a morte! Pelé tinha Coutinho e Rivellino, que para mim estão lá em cima. E depois tinha Jairzinho, Clodoaldo, Gérson, Tostão. Tinhas monstros", completou.

Maradona evitou fazer algum prognóstico sobre o jogo entre Brasil e Argentina, no dia 5 de setembro, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, mas prometeu que sua equipe vai ter uma postura vencedora. "Não acredito nisso de adivinhar resultados. Mas o que posso dizer, isso sim, é que nós buscaremos a classificação nesta partida. O Brasil está sólido, mas que fique claro: nós vamos sair para ganhar", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasilArgentinaPeléMaradona

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.