Maradona será novamente tema de filme

O ex-jogador de futebol argentino, Diego Armando Maradona, seria novamente uma estrela de cinema. O anúncio foi realizado pelo cineasta bósnio Emir Kusturica, que durante sua visita à Argentina explicou que está preparando um ambicioso documentário sobre o polêmico "El Diez" (O Dez), como é chamado popularmente. Kusturica, premiado ao longo da última década com duas Palmas de Ouro no Festival de Cannes pelos filmes "Papai está em viagem de negócios" e "Underground", afirmou que Maradona participará pessoalmente no filme.O filme sobre Maradona começará a ser rodado no dia 18 de março na capital argentina. A obra estaria concluída até fins de agosto ou início de setembro, afirma o diretor bósnio: "minha intenção é encontrar e fazer reaparecer nos próximos cinco meses a verdadeira personalidade de Maradona".Segundo o diretor, Maradona "é uma personalidade a qual todo o mundo quer se parecer. Mas, eu vou enfocar o filme em sua atividade como jogador em um estádio, que é a mesma coisa que um artista sobre o palco". O cineasta bósnio firmou que sua obra tentar á responder à pergunta "quem é Maradona?".O próprio Kusturica, que se define como "o Maradona do cinema" por considerar-se "um bom driblador", já havia demonstrado sua admiração por "El Pibe" (O Garoto) em seu filme "Gato preto, gato branco", no qual a primeira palavra pronunciada é "Maradona!", a modo de júbilo. Kusturica explicou que Maradona é um de seus heróis. Segundo ele, ninguém jamais jogará como ele".Carreira - Esta não será a primeira vez que "La Mano de Dios" (A Mão de Deus) - uma das várias formas para denominar o ex-jogador de futebol - será imortalizado no celulóide. O histriônico Maradona participou de diversos filmes ao longo dos últimos 15 anos. Em alguns casos foi o ator principal; em outros, protagonizou breves aparições. Ele também foi simplesmente o nome de um filme, mesmo sem aparecer. Em todos, no entanto, Maradona interpreta o papel de...Maradona.Na Argentina o ex-jogador já foi ator - e título de filme - na obra "O dia em que Maradona conheceu Gardel", estreada em 1996. O filme, de Rodolfo Paglière, é um surrealista delírio que conjuga dois mitos argentinos: Maradona e o cantor de tangos Carlos Gardel. A trama começa quando Gardel, no dia anterior à sua morte, em 1935, conhece uma misteriosa mulher. Ela o convence a assinar um pacto que acaba sendo uma armadilha e aprisiona a alma do cantor. Décadas depois, um relojoeiro e um editor de TV envolvem-se na odisséia de salvar a alma de Gardel. Mas, para cumprir essa tarefa, precisam encontrar um mito à altura de Gardel. O mito, neste caso, é Maradona.Na Itália, Maradona participou de "Tifosi" (Torcedores), de 1999. Rodada pelo diretor Neri Parenti, trata das aventuras e desventuras de um grupo de fanáticos do futebol. Nessa comédia - considerada pelos críticos italianos como "uma vulgar farsa de terceira categoria" - Maradona (que interpreta a si próprio) é roubado por um ladrão torcedor do Napoli que não sabe que a residência que invade é a casa do ídolo. Quando percebe a "heresia" cometida, o ladrão devolve os objetos. Mas, em troca, tira uma foto com Maradona."Santa Maradona", filme do diretor Marco Ponti, é uma comédia non sense sobre fanáticos de futebol. No entanto, a única imagem do ex-jogador aparece logo no início, quando ainda não terminaram de passar os créditos de apresentação. "Ho visto Maradona" (Eu vi Maradona) é um documentário italiano cujo slogan é "Nápoles tem três coisas belas: o golfo, o Vesúvio...e Maradona". O filme, do ano 2000, é um canto de fanatizado louvor ao El Pibe de Oro, que de 1984 a 1991 foi a estrela do Napoli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.