Maradona voltará a se tratar em Cuba

Diego Maradona voltará para Cuba nos próximos dias para visitar a clínica em que passou a maior parte do ano passado. O ex-jogador argentino pretende submeter-se a exames médicos, para avaliar o grau de recuperação física. Ele ficou internado, em tratamento rígido, depois de sofrer distúrbios no coração provocados por dependência a drogas. "Quero ter certeza de que poderia fazer um monte coisas pela vida afora", afirmou Maradona, que tem planos de comprar uma casa em Havana, onde moraria seis meses por ano. No restante, ficaria em Buenos Aires e girando pelo mundo.A língua do craque que conquistou o título mundial em 86 continua afiada. Maradona criticou a idéia de participar do jogo com o Peru, dia 8 de novembro, pelas Eliminatórias da Copa de 2002, como homenagem por sua trajetória na seleção. "Não faz sentido jogar porque assim o desejam algumas pessoas", comentou, em referência à proposta apresentada por cartolas da federação local. "Só jogaria se os jogadores me convidassem. Não é justo tomar o lugar de atletas como Aymar ou Riquelme, que hoje defendem a seleção por mérito".Maradona não poupa comentários duros nem ao papa nem a políticos de seu país. "Não visitaria de novo João Paulo II", afirmou, em entrevista a emissora de rádio da Argentina. "É muito complicado. A gente fica passando de uma sala para outra, sempre cercado por segurança". A volta de Domingo Cavallo ao comando da economia argentina também não o entusiasma. "Se estamos assim, é porque Cavallo fez o que os americanos queriam, quando esteve no governo, e dolarizou nossa economia. Aquilo foi uma farsa. Nosso poder aquisitivo é muito menor do que o dos norte-americanos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.