Maratona prejudica preparo do São Caetano

Enquanto o São Paulo demonstra muitas preocupações com o seu adversário de domingo pelas quartas-de-final do Campeonato Paulista, o São Caetano tenta driblar a maratona a que foi submetido nesta semana com sua participação na Taça Libertadores da América. Na verdade, o time nem vai treinar um coletivo para o jogo que definirá seu futuro no Paulista, domingo à tarde, no Morumbi. Devido ao atraso na viagem de volta do México, a comissão técnica resolveu cancelar o treino previsto para o período da tarde. O desembarque da delegação estava previsto para 6h50, mas o ônibus só deixou os jogadores no estádio Anacleto Campanella por volta do meio dia. Os jogadores foram liberados no período da tarde, mas iniciaram a concentração à noite. Haverá apenas um treino tático no sábado à tarde. Além do cansaço, o time do ABC tentará esquecer também as duas derrotas seguidas sofridas diante do América do México, ambas por 2 a 1, a primeira no ABC e a segunda, quarta-feira, na Cidade do México. Lá o time sofreu com os efeitos da altitude de 2.400 metros, sem contar o desgaste com a longa viagem de oito horas de duração e realizada à noite. Até o fuso horário também atrapalhou bastante, segundo a comissão técnica. O técnico Muricy Ramalho já avisou que só deve definir o time domingo, mesmo porque vai conversar individualmente com cada jogador para saber da real condição do elenco. Em princípio, o único problema médico é o zagueiro Dininho, que ainda se recupera de uma torção no tornozelo direito. No México, o São Caetano teve uma formação diferente do que vinha apresentando no Campeonato Paulista. Muricy escalou três zagueiros - Gustavo, Thiago e Serginho - para reforçar o sistema de marcação, além de optar pela entrada de Somália no ataque ao lado de Fabrício Carvalho, deixando seu ataque mais forte fisicamente. O mais provável é que o time volte a atuar no 4-4-2, que garantiu quatro vitórias consecutivas no Paulista, diante de Palmeiras, Ituano, Paulista e União São João. O Paulista passou a ser uma alternativa importante para o clube neste primeiro semestre, uma vez que a situação ficou complicada no Grupo 1 da Libertadores. A equipe divide a segunda posição com o Peñarol, com quatro pontos, seis a menos que líder América.

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.