Marcação impressiona corintianos

A goleada sobre o Paysandu devolveu aos jogadores do Corinthians a certeza de que o time deve embalar no Campeonato Brasileiro. Mais até do que o placar, o que mais impressionou foi a maneira como o time se aplicou na marcação. "Essa equipe tem qualidade. Com vontade e descansada é difícil de ser batida", dizia o capitão Fábio Luciano, autor dos dos primeiros gols, ambos de cabeça. Com os dois de hoje, Fábio Luciano já soma sete na temporada - três só no Campeonato Brasileiro. O zagueiro é parte fundamental nas jogadas de bola parada da equipe, especialmente as que saem pelo alto. Ao lado de Ânderson, que também costuma aparecer na área adversária para arriscar o cabeceio, os dois abrem espaço para outro especialista na matéria: o atacante Liédson. Com 1m73, Liédson mais uma vez deixou sua marca usando a cabeça. "Hoje pode-se dizer que as jogadas pelo alto são o forte da nossa equipe. Dificilmente o Corinthians deixa de fazer gols de cabeça". Só no primeiro tempo foram quatro gols de cabeça. Além dos dois de Fábio Luciano e o de Liédson, Fabinho também fez o dele pelo alto. No segundo, Liédson por duas vezes e Fumagalli também poderiam ter feito outros. De acordo com os jogadores, a evolução nesse quesito se deve à persistência do técnico Geninho, que passou a trabalhar diariamente esse tipo de jogada. "Ele conseguiu acertar não só o posicionamento dos jogadores que vão receber a bola mas também a forma como ela deve sair de quem faz a assistência", acrescenta Leandro, que, aliás, não é um especialista nesse tipo de jogada. De sua parte, Geninho procurou usar essa goleada para motivar ainda mais a sua equipe no Campeonato Brasileiro. Depois de um começo insatisfatório, com derrota para o Atlético-MG na estréia, por 3 a 0, no Pacaembu, e de um empate por 3 a 3 diante do Figueirense, em Santa Catarina, só hoje o time conseguiu mostrar um desempenho compatível com sua qualidade. "Foi importante ter conquistado a primeira vitória, mas ninguém vai se iludir com isso", observa Geninho. "Ainda precisamos melhorar a nossa posição na competição, de preferência com outros bons resultados diante do Vasco na quarta-feira e na sequência contra o Inter, em Porto Alegre". Apesar da goleada, houve jogador que ainda viu defeito na equipe. "Com tudo o que fizemos de bom, falhamos no gol do Paysandu", avisava o lateral Rogério. "Mas valeu pelo primeiro tempo. Fizemos 5 a 0 e depois só tivemos de administrar a vantagem". Já no vestiário do Paysandu, a melhor definição foi do zagueiro Jorginho: "Perdemos o jogo em três minutos, naqueles três gols do Corinthians". Jorginho disse ainda que o árbitro Evandro Rogério Roman pediu desculpas no intervalo aos jogadores do Paysandu. "Ele disse que estava longe do lance e por isso não marcou um pênalti no primeiro tempo. Mas é sempre assim: contra nós, normalmente os árbitros estão sempre longe", acrescentou Jorginho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.