Marcelinho cria polêmica em Extrema

O meia Marcelinho não estava disposto a falar sobre sua reunião com o vice-presidente de futebol do Corinthians, Antonio Roque Citadini, após o treino desta tarde, em Extrema. Na sua única manifestação, acabou criando polêmica. Ele disse que foi chamado para resolver problemas pessoais, contrariando a versão da assessoria de imprensa do clube de que teria que explicar as declarações de terça-feira. O jogador havia deixado claro que estava incomodado no clube. Para o técnico Wanderley Luxemburgo, falar é um "direito de liberdade". "O atleta pode falar, desde que assuma seus atos", disse. Ele garante que o problema não vai influenciar na preparação da equipe. "São coisas do futebol", desconversou. Para o atacante Paulo Nunes, trata-se de um "assunto de diretoria", palavras que, de uma hora para outra, tornaram-se discurso único no elenco. O Corinthians fará mais um jogo treino contra o Bragantino neste sábado, às 10h30. Luxemburgo deverá manter o time que venceu o mesmo Bragantino na quarta-feira, aprimorando o esquema 3-5-2 para enfrentar o Colo-Colo, na próxima quinta-feira. O prazo para inscrições de jogadores na Copa Mercosul termina segunda-feira. "Pretendíamos disputar a competição com um elenco definido", disse o treinador, prevendo insucesso nas negociações até aquela data.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.