Marcelinho: Não sou obrigado a voltar

Marcelinho comemora a liberdade. No fim do mês termina o contrato com o Santos, e ele admite que, se não houver acordo para continuar na Vila Belmiro, vai poder escolher o clube que quiser defender. O craque enfatizou que não há obrigação para voltar a cumprir o contrato com o alvinegro do Parque São Jorge. "A prioridade é continuar no Santos. Foi o clube que me recebeu de braços abertos", ressaltou o atacante, hoje à tarde, durante um churrasco na sua escolinha de futebol, no bairro Jardim Anália Franco, na zona leste de São Paulo. Marcelinho disse que seu procurador, James Fernando Arruda, está tentando acertar com o Santos a renovação do contrato. Mas se não der certo, o atacante poderá se transferir para o clube que lhe fizer a melhor proposta. Nesse caso, ele não afasta a hipótese de jogar no Palmeiras. Surgiram boatos de que ele poderia jogar no Parque Antártica, caso Oswaldo de Oliveira venha a ser o treinador. O acordo para a volta de Marcelinho ao Corinthians não está fácil, apesar da empolgação com que ele fala do ex-clube. "Foram oito anos no Parque São Jorge. Entrei para a história como um dos maiores jogadores do clube", lembrou o jogador, que evitou comemorar a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo, do Corinthians. " A verdade permanece e a mentira aflora", disse Marcelinho, em referência às brigas com o treinador, que resultaram na sua saída do Parque São Jorge. O substituto de Luxemburgo no Corinthians continua indefinido. Oswaldo de Oliveira, atualmente no Fluminense, mantém-se o mais cotado. O presidente do clube carioca, David Fischer, admitiu hoje, durante a reunião da Liga Rio-São Paulo, a possibilidade de perder o treinador. "Quero manter o Oswaldo nas Laranjeiras, mas não podemos fazer loucuras", disse Fischer sobre a impossibilidade de cobrir uma proposta muito alta de algum outro clube. Hoje, no Rio, o técnico voltou a conversar com a diretoria do Fluminense para a renovação do contrato, mas novamente não houve acordo, como ocorreu durante o jantar, quinta-feira, em um restaurante da zona sul carioca. Na segunda-feira deverá ser realizado outro encontro, que poderá ser definitivo para a permanência ou saída de Oswaldo. Hoje, os presidentes do Corinthians, Alberto Dualib, e o do Botafogo, Mauro Nei Palmeiro, discutiram a transferência do atacante Rodrigo para o Parque São Jorge. O Palmeiras também quer o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.