Marcelinho vai ?financiar? churrasco

A punição que Marcelinho vai levar do técnico Wanderley Luxemburgo, por causa da sua expulsão na partida do Corinthians contra o Atlético-PR, quinta-feira, no Pacaembu, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, vai render um bom churrasco para os companheiros no fim do ano. "Vamos fazer uma festa", disse o técnico, acrescentando que todo o tipo de punição aos atletas durante a temporada é repassado para a "caixinha" do elenco que posteriormente divide entre eles, ou faz algum tipo de doação. No caso de Marcelinho, o treinador já adiantou que será reservado para o churrasco.O treinador conversou hoje com Marcelinho confimando a punição ao atleta. Luxemburgo não revelou o valor da multa. Mas tudo indica que será em torno de 10 a 20% do salário do atleta, que recebe R$ 130 mil."Que ele será punido, não há dúvida. Sem ver o teipe tive a certeza que ele merecia a punição, após vendo o teipe, então, nem se fala. Ele prejudicou o time ao sair da partida com 20 minutos de jogo", disse o treinador, que confirmou a escalação do meia na primeira partida do Corinthians contra o Botafogo pela decisão do Campeonato Paulista, domingo, em Ribeirão Preto.Marcelinho reconheceu hoje que errou ao ser expulso contra o Atlético-PR. Na quinta-feira, ele disse que não mereceu a expulsão, por isso era contra a punição da comissão técnica. Mas hoje mudou o discurso. "Não tive a intenção de agredir o adversário. Acabei me enrroscando com nele, mas teve o ato que o juiz entendeu como agressão. De qualquer forma, prejudiquei o time e vou acatar a punição. Até pedi desculpas para os companheiros", disse o meia. O goleiro Maurício afirmou foi justa a punição a Marcelinho. "Ele realmente prejudicou o time", afirmou.Foi a quarta expulsão de Marcelinho nos últimos sete meses. A primeira, nesse período, foi na derrota do Corinthians para o Bahia por 2 a 1, dia 11 de outubro, em Salvador, pela Copa João Havelange, um dia após a contratação do técnico Candinho. Quem dirigiu a equipe nesse jogo foi o supervisor Valdir de Morais. Candinho assistiu a partida pela televisão, e não quis tomar atitude sobre a indisciplina de Marcelinho. "Mas de hoje em diante todo o problema que ocorrer com o time será sob minha responsabilidade", disse Candinho ao assumir, de fato, o comando da equipe, na volta da delegação de Salvador.Mas na segunda da partida do Corinthians sob o comando de Candinho, na derrota para o Olimpia por 3 a 2, dia 18 de outubro, em Assunção, pela Copa Mercosul, Marcelinho foi novamente expulso. Como castigo, Candinho tirou do meia a função de capitão da equipe. Luizão assumiu seu lugar.Marcelinho foi expulso outra vez justamente na estréia de Luxemburgo como treinador do time, no empate por 1 a 1 contra o Fluminense, dia 8 de fevereiro, no Pacaembu, resultado que tirou a equipe do Parque São Jorge do Torneio Rio-São Paulo. Logo aos dois minutos do jogo, Marcelinho agrediu Jorginho com um soco. Luxemburgo criticou a atitude de Marcelinho. No dia seguinte, o treinador disse que o jogador foi multado, embora não tenha revelado, também, naquela ocasião o valor da punição. "Em 1998, na minha passagem pelo Corinthians, Marcelinho era um dos maiores contruibuintes com a caixinha", disse o técnico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.