AFP
AFP

Marcelo Bielsa é anunciado como técnico do Lille para a próxima temporada

Argentino comandará o clube a partir do meio do ano, em julho

Estadao Conteudo

19 Fevereiro 2017 | 12h02

Longe do futebol desde a polêmica e curta passagem pela Lazio no meio do ano passado, o argentino Marcelo Bielsa terá nova casa a partir da próxima temporada. Neste domingo, o Lille anunciou que o treinador de 61 anos chegará ao clube para comandá-lo no meio do ano, no dia 1.º de julho.

A nova diretoria do Lille, encabeçada pelo presidente Gérard Lopez, explicou que Bielsa era a "escolha prioritária" para o cargo. Em nota oficial, o clube definiu o treinador como "internacionalmente reconhecido por sua habilidade de treinar e integrar jovens talentos, de fazer suas equipes renderem e propor um jogo espetacular, generoso e ofensivo".

Bielsa estava sem time desde sua conturbada passagem pela Lazio. Ele foi anunciado como técnico da equipe romana em 6 de julho, mas somente dois dias depois, pediu demissão e deixou o clube. A diretoria, então, decidiu processá-lo por quebra de contrato e cobra 50 milhões de euros.

Esta, no entanto, não foi a única controvérsia na carreira do treinador, que já vinha de uma passagem conturbada pelo Olympique de Marselha, onde ficou um ano entre 2014 e 2015 antes de pedir demissão por entreveros com a diretoria.

"Marcelo Bielsa é, sem dúvida, um dos técnicos mais respeitados e influenciadores do mundo. Trazê-lo para o Lille é uma satisfação imensa, uma prova da ambição de nosso clube. Não é segredo que Gérard Lopez e Bielsa são próximos e vinham discutindo esta oportunidade há algum tempo. Sempre pensamos em Marcelo como a melhor pessoa, por sua filosofia de jogo e experiência, rigor e profissionalismo, para construir conosco o projeto e o futuro de vitórias do Lille", disse o diretor geral do clube, Marc Ingla.

Ao longo de sua carreira, Bielsa ficou conhecido pelo estilo de jogo ofensivo de suas equipes. O treinador começou a carreira no Newell's Old Boys no início dos anos 90 e, entre outras passagens, comandou as seleções da Argentina e do Chile. Na Europa, trabalhou também no Espanyol e no Athletic Bilbao.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.