Gabriel Ferrari / Guarani FC
Gabriel Ferrari / Guarani FC

Marcelo Cabo chega ao Guarani e promete luta pelo acesso na Série B

Novo treinador substitui Vadão, demitido nesta terça-feira

Estadão Conteúdo

29 de agosto de 2017 | 19h18

Após a saída de Osvaldo Alvarez, o Vadão, confirmada na madrugada deste terça-feira, o Guarani já tem um novo técnico no comando dos treinamentos. À tarde, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP), o presidente Palmeron Mendes Filho apresentou Marcelo Cabo, bem como Luciano Dias, o novo coordenador de futebol, agora funcionário fixo do clube.

O comandante tem a missão de devolver a estabilidade ao time campineiro, que está na oitava colocação da Série B do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos, e venceu apenas um jogo dos últimos nove disputados. A sua estreia será na próxima segunda-feira, dia 4 de setembro, contra o Vila Nova, em Campinas, pela abertura da 23.ª rodada.

"Tenho acompanhado a competição, conheço 90% do grupo e sei que vou pegar um trabalho muito bem feito pelo meu antecessor. Por isso, estou otimista em brigar pelo acesso", garantiu Marcelo Cabo, apresentado ao lado do preparador Renato Teixeira e seus auxiliares Rodolfo Oliveira e o filho Gabriel Cabo.

O novo comandante, de 50 anos, foi contratado por ter conquistado o título da Série B do ano passado com o Atlético Goianiense. Mas ele tem um extenso currículo, que inclui a participação como auxiliar técnico de Marcos Paquetá na Copa de 2006 pela Arábia Saudita.

Logo após a entrevista coletiva, Marcelo Cabo comandou o seu primeiro treinamento no Brinco de Ouro. Bastante animado, conversou com os jogadores e priorizou os trabalhos físicos. Afastados, Gilton, Felipe Pará, Claudinho e Renteria não participaram das atividades e devem deixar o clube. O meia Lorran, formado na base, foi reintegrado.

Apesar da campanha ruim nos últimos jogos, a saída de Vadão não agradou a alguns torcedores. O ex-técnico demonstrou estar magoado por não ter sido comunicado de sua demissão. "Mesmo porque os dirigentes é que cuidam dos interesses do clube e sabem o que é melhor para o Guarani", afirmou Vadão, que esteve pela quinta vez no comando do time.

No final da tarde, o presidente Palmeron Mendes, também em entrevista coletiva, pediu desculpas ao técnico, assegurando que tentou várias vezes o contato por telefone e não teve êxito. Mas elogiou a postura e a contribuição de Vadão.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.