Miguel Schincariol/AFP
Miguel Schincariol/AFP

Marcelo confirma volta por cima na seleção e agradece a Tite: 'Ele mudou tudo'

'Dá para ver pelo ambiente. A entrega de cada jogador', afirma lateral-esquerdo

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2017 | 00h21

O último gol da vitória da seleção brasileira sobre o Paraguai representou a redenção pessoal do lateral Marcelo. Na estreia da Copa do mundo de 2014, diante da Croácia, quase três anos atrás, o lateral fez um gol contra, o primeiro da seleção brasileira na história das Copas. No final, o Brasil conseguiu a virada. O jogo também foi disputado na Arena Corinthians. “Não penso muito nisso. São coisas que acontecem no futebol. Um dia você erra, outro dia dia, você acerta”, disse. 

Marcelo reconhece que esse é um dos melhores momentos da seleção. “Dá para ver pelo ambiente. A entrega de cada jogador. A gente agradece a vinda do Tite e seus companheiros. Ele mudou tudo”, reconheceu o lateral do Real. 

Neymar disse na véspera da partida viver o melhor momento da carreira, por estar mais maduro. Um dia depois da primeira entrevista coletiva pela seleção brasileira depois de quase 250 dias, o camisa 10 fez tudo para provar o quanto estava correto. O principal jogador da equipe não se abalou com um pênalti perdido para reagir com um belo gol.

O atacante do Barcelona arrancou do campo de defesa e passou por dois para fazer o segundo gol dez minutos depois de ter o pênalti defendido pelo goleiro Silva. A torcida participou dessa reviravolta, pois instantes depois da chance perdida, gritou o nome dele. 

A atuação honrou a faixa de capitão dada a ele pela primeira vez em sete meses. Neymar recusou o cargo depois da Olimpíada, mas voltou atrás pela insistência de Tite.

Neymar demonstrou maturidade para aguentar as faltas sem se irritar e mostrou como organizar a seleção em campo, sem necessariamente ser o único com condições de liderar. Sofreu cinco faltas no primeiro tempo e irritou mais os paraguaios na etapa final, quando apostou em dribles. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.