Marcelo critica árbitro e diz não temer demissão no Cruzeiro

O técnico Marcelo Oliveira responsabilizou o árbitro Heber Roberto Lopes pela eliminação do Cruzeiro nas semifinais do Campeonato Mineiro, sacramentada com a derrota por 2 a 1 para o Atlético, domingo, no Mineirão. De acordo com o treinador, o juiz deveria ter expulsado o zagueiro atleticano Edcarlos, que acertou o rosto do atacante Leandro Damião ao tentar cortar uma jogada em que nem foi assinalada a falta.

Estadão Conteúdo

20 de abril de 2015 | 11h13

"Foi decisivo, inclusive o árbitro reserva falou com ele que houve um chute no rosto, que deveria ser marcada a falta e ser expulso. Mas ele não fez nada. Se saísse o zagueiro do adversário, o Levir teria que recompor a defesa. Talvez eles não tivessem um jogador ali na frente. Mais uma vez a gente foi prejudicado por esse árbitro", disse Marcelo.

A derrota deixou o treinador pressionado, ainda mais que o time faz campanha irregular na Copa Libertadores. Marcelo fez a defesa do seu trabalho, iniciado em 2013, e destacou que não teme ser demitido.

"Em relação ao trabalho, ganhamos dois Brasileiros, fizemos um novo time em 2013. Ganhamos um Mineiro invicto e, após a comemoração, falamos que foi um trabalho de todos. É da mesma forma agora, embora no Brasil, pela cultura, recaia sobre o treinador. Estou botando um time ofensivo, para frente. Estou pronto para as críticas e preparado para qualquer situação. Não tenho apego a emprego, mas ao trabalho. Sou honesto e leal", comentou.

Após a queda no Campeonato Mineiro, o Cruzeiro volta a entrar em campo nesta terça-feira, quando vai enfrentar o Universitário Sucre, no Mineirão, pela última rodada do Grupo 3. O time precisa vencer para avançar às oitavas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.