Juan Medina/Reuters
Juan Medina/Reuters

Marcelo diz que Real se vê pressionado contra Galatasaray: 'Encaramos como final'

Equipe espanhola vive momento ruim na liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

05 de novembro de 2019 | 10h58

Depois de um início complicado na Liga dos Campeões da Europa com a derrota para o Paris Saint-Germain e o empate em casa contra o Brugge, o Real Madrid se recuperou ao bater o Galatasaray na Turquia. Nesta quarta-feira, o time espanhol terá pela frente novamente os turcos, desta vez no estádio Santiago Bernabéu, em Madri, e todos consideram esse duelo como uma "final" na luta por uma das vagas do Grupo A às oitavas de final.

"Sabemos que será uma partida duríssima, temos que ganhar. Estamos com muita vontade de jogar no Bernabéu, estamos motivados e gostamos de jogar esse tipo de partida", disse o lateral-esquerdo brasileiro Marcelo, em entrevista coletiva nesta terça-feira. "Jogos assim são os melhores que um jogador pode pensar em atuar. Temos que ganhar para estar na parte de cima (da tabela de classificação) e passar de fase. Encaramos como uma final".

Com quatro pontos, o Real Madrid está na segunda colocação da chave, atrás do Paris Saint-Germain, que tem 100% de aproveitamento em três rodadas. A briga do time espanhol é com o Brugge, que somou dois até agora, e com o Galatasaray, com um ponto, pela classificação às oitavas de final.

Contra os turcos, Marcelo alcançará a marca de 100 jogos pelo Real Madrid na Liga dos Campeões. "É uma emoção muito grande jogar tantas partidas no melhor clube do mundo. Estou aqui por quase toda minha carreira, é um orgulho estar no Real Madrid. Tomara que façamos um grande jogo", afirmou.

O brasileiro comentou ainda sobre a sua confissão em um artigo escrito por ele sobre ataques de ansiedade antes da última final do Real Madrid na Liga dos Campeões contra o Liverpool, em Kiev, na Ucrânia, em 2018. "A pressão não é apenas jogar o futebol, está fora também. É que o acontece quando se joga na melhor equipe do mundo. Com essa história queria mostrar aos que gostam de mim e aos fãs do futebol que também temos problemas diários e sofremos", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.