Juan Medina/Reuters
Juan Medina/Reuters

Marcelo, do Real Madrid, afirma em entrevista que tem interesse em investir em clubes brasileiros

Lateral, que também é empresário, possui dois times de futebol; ele pretende aumentar seu portfólio e adquirir uma equipe europeia de tradição em 2022

Redação, Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2021 | 14h51

Na esteira do movimento feito por Ronaldo de investir R$ 400 milhões no Cruzeiro, o lateral-esquerdo Marcelo também se mostra interessado em seguir pelo mesmo caminho. Em entrevista ao portal TNT Sports Brasil, o jogador do Real Madrid, que desde 2017 investe em clubes de futebol e pretende aumentar o seu portfólio com um time europeu em 2022, vê com bons olhos a tendência das equipes brasileiras adotarem o modelo SAF  (Sociedade Anônima do Futebol) de gestão e não descarta investir em um clube nacional no futuro. 

"Com a SAF, os investidores começaram a enxergar o mercado de futebol brasileiro de uma outra maneira. Esse modelo permite que os clubes se estruturem melhor e passem a ter uma gestão eficiente, transparente e profissional. Ou seja, agora eles também têm a oportunidade de liquidarem suas dívidas", afirmou Marcelo. "Assim como já acontece no futebol europeu, vamos poder trabalhar com os clubes brasileiros através de uma abordagem empresarial", completou o lateral.

Aos 34 anos, Marcelo já adquiriu dois clubes de futebol: o Azuriz, uma equipe brasileira que tem um trabalho focado na formação de atletas; e o Mafra, clube da segunda divisão de Portugal. O projeto do lateral consiste em fazer uma conexão de mercado entre as duas equipes e fazê-las trabalharem de forma cooperada. A ideia, em linhas gerais, é que uma forme o jogador e a outra o leve para Europa em busca de vitrine e valorização. 

Para realizar esses investimentimentos, Marcelo é representado pela "Doze", uma holding que o lateral pretende inaugurar em 2022 e que engloba outras empresas, incluíndo os clubes Azuriz e Mafra. "Abaixo dela estão algumas empresas, como a Doze Football, relacionada à gestão de carreira de atletas profissionais, Doze Media, focada em entretenimento, e Academy 12, uma escola e metodologia de ensino para jovens jogadores", explicou Marcelo.

As pretensões do jogador do Real Madrid, clube com o qual tem vínculo até junho do ano que vem, é dar um passo para a frente nos negócios e investir em um clube europeu de maior torcida e tradição. "Nossa ideia é que esse novo clube seja complementar aos que já possuímos, de maneira que um jogador formado no Azuriz e adquirido pelo Mafra, depois possa ser comprado por esse clube flagship", disse Marcelo na entrevista.

Investir em um time de massa faz o lateral olhar com carinho para o Brasil, onde clubes se inclinam cada vez mais para adotar o modelo SAF de gestão. De acordo com o jogador, agremiações que possuem uma torcida engajada, que costuma lotar o estádio e que carrega uma história de peso no cenário do futebol nacional são "excelentes oportunidades para um bom trabalho de marca". "Com isso é possível fortalecer a percepção da marca, além de aumentar o valor de mercado da instituição" disse o jogador.

O atleta garante que levar a vida como atleta e empresário ao mesmo tempo é algo que se complementam: "andam e se fortalecem juntos". E ele reforça ainda que cotribuir com o futebol, tanto dentro quanto fora dos gramados, sempre foi seu objetivo. "Sigo focado em minha carreira como atleta profissional e tenho ao mesmo tempo a estrutura da Doze representando todos os meus interesses alinhados às frentes de negócio que levam meu nome hoje", concluiu. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.