Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Marcelo elogia Atlético-MG e lamenta falta de ímpeto do Cruzeiro

Time celeste não soube se impor em campo com um jogador a mais

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2015 | 09h17

O Cruzeiro perdeu uma boa chance de sair com a vitória no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro, diante do Atlético-MG, no domingo. Mesmo atuando no Independência, o time celeste teve a chance quando ficou com um homem a mais, após a expulsão de Leonardo Silva, mas não soube se impor em campo. A postura desagradou o técnico Marcelo Oliveira, que pareceu gostar muito mais da forma como o rival se portou.

"Em relação ao jogo, é muito difícil jogar aqui mesmo, todos que vêm aqui sabem disso. O rival é um time ótimo e bem ajustado, empurrado pela torcida. Briga muito pela bola, compete muito, já sabia disso. Mas acho que o jogo foi controlado, alternando algumas situações de um lado para o outro. Não tivemos situações tão claras no primeiro tempo, tirando o gol do Atlético-MG, que era um ataque nosso. Tínhamos a chance até de fazer gol, e eles imprimiram uma velocidade com o Guilherme", comentou.

Se no primeiro tempo, o Cruzeiro sofreu com o Atlético-MG e viu o rival abrir o placar com Carlos. No início da etapa final, De Arrascaeta empatou em lindo gol. Pouco depois, Leonardo Silva deu uma solada em Leandro Damião e foi expulso, mas o time celeste não soube se aproveitar da vantagem numérica.

"O Cruzeiro voltou para o segundo tempo ajustado de algumas situações de jogo e buscando o resultado. Conseguimos o gol, após acertar a marcação no meio campo. Achei que depois do empate era necessária uma imposição física maior, por eles terem jogado na quinta-feira e nós na quarta-feira, e isso não aconteceu. Então, nesses 20 minutos finais nós perdemos a oportunidade de ganhar o jogo por estes fatores", lamentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.