Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos

Marcelo Fernandes minimiza críticas no Santos após empate em sua despedida

'Não me empolguei quando fui campeão paulista e não abaixo a cabeça agora', declarou o interino

Redação, Estadão Conteúdo

27 de fevereiro de 2022 | 21h47

A despedida do auxiliar Marcelo Fernandes de mais uma passagem pelo comando do Santos aconteceu com um empate por 2 a 2 com o lanterna Novorizontino em plena Vila Belmiro. O auxiliar afirmou que não está preocupado com as críticas recebidas e explicou que precisa agir com a razão mesmo nos momentos difíceis do time.

"Eu não estou preocupado com as críticas, aqui é meu trabalho. Não me empolguei quando fui campeão paulista e não abaixo a cabeça agora. Ninguém aqui está fazendo loucura. Todos que estão ali pensam no coletivo. Eu já estive na arquibancada, sei muito bem que a torcida quer ganhar, mas a gente aqui não pode agir com a emoção", disse o auxiliar técnico santista.

Marcelo Fernandes reconheceu que o jovem grupo de jogadores está sentindo a pressão do momento difícil vivido pelo time e reforçou a necessidade de jogadores mais experientes para fazer uma mescla no elenco. O treinador também explicou a decisão de tirar Ângelo, um dos destaques da partida. A substituição foi vaiada pela torcida santista.

"Eu me dedico muito em tudo que faço aqui. Obviamente que o grupo está sentindo por tudo que aconteceu desde o ano passado. Quanto mais agregar e juntar essa molecada para que a gente possa ter o mínimo necessário para começar um trabalho. Ninguém está tirando ninguém porque está vendo um jogo diferente, mas sim por motivos táticos. Ângelo estava desgastado fisicamente. Estou aqui para assumir todas as responsabilidades como foi até hoje", afirmou Marcelo.

"Esse diagnóstico que estamos fazendo aqui é bem nítido. Não tem o que falar dessa molecada, são jogadores excepcionais, mas que precisam ter estrutura e pilares juntos para que eles sintam o moral ao lado e tirem esta ansiedade. Esta oscilação é normal em jogadores que estão começando agora. A responsabilidade é grande, o Santos é bicampeão do mundo, e eles se sentem responsabilizados e assumem essa responsabilidade", continuou.

Marcelo deixa o comando do clube nesta segunda-feira para a chegada do treinador Fabián Bustos. O Santos já vai iniciar a preparação para o jogo contra a Ferroviária no próximo fim de semana. O Santos está há três rodadas sem vencer no Paulistão, com duas derrotas e um empate, fora da zona de classificação para a próxima fase.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.