TV Estadão | 09.04.2015
TV Estadão | 09.04.2015

Marcelo Grohe salva nos pênaltis e Grêmio avança no Gaúcho

Tricolor não passa do 1 a 1 no tempo normal com o Novo Hamburgo

Estadão Conteúdo

09 de abril de 2015 | 22h09

O roteiro foi parecido para os dois maiores rivais do Rio Grande do Sul. Um dia depois de o Internacional sofrer para passar pelo Cruzeiro na disputa por pênaltis, o Grêmio passou pela mesma situação nesta quinta-feira contra o Novo Hamburgo, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, pelas quartas de final do Campeonato Gaúcho. No tempo normal, empate por 1 a 1 e vitória gremista nas penalidades máximas por 6 a 5, graças a duas defesas de Marcelo Grohe.

Foi graças ao goleiro, também da seleção brasileira, que o Grêmio conseguiu a classificação para enfrentar nas semifinais o Juventude, que derrotou o Ypiranga por 2 a 0, em Erechim, também nesta quinta-feira. Na última cobrança das cinco regulamentares, o Novo Hamburgo só precisava marcar com Paulinho - Everton havia perdido para o time tricolor - para fazer 5 a 4, mas Marcelo Grohe fez a defesa com o pé esquerdo e levou a decisão para os chutes extras. Com 6 a 5 a favor, novamente o goleiro defendeu, a cobrança de William Schuster, e classificou o Grêmio.

No jogo, o Grêmio foi ao ataque desde o início. Como a disputa das quartas de final é em partida única, o time tricolor não poderia vacilar em casa. Até conseguiu marcar, aos 15 minutos, mas Braian Rodríguez estava impedido no lance. A partir daí, o Novo Hamburgo equilibrou as ações e fez o gol. Aos 28, Fred marcou em uma cobrança de falta da entrada da área no canto direito de Marcelo Grohe, que nem se mexeu.

Em desvantagem, o Grêmio se abateu e nada fez até o intervalo, quando o técnico Luiz Felipe Scolari arriscou com a entrada de Everton no lugar de Giuliano. Assim, o time tricolor passou a pressionar o rival, que preferiu se defender. Com tanta pressão, o empate veio aos 24 minutos em uma cabeçada do zagueiro Pedro Geromel após cruzamento de Douglas.

Seis minutos depois, o Grêmio teve a grande chance da virada, mas Douglas perdeu a cobrança de um pênalti sofrido por Yuri Mamute. O meia acertou a trave do gol de Rafael e levou todos no estádio ao desespero. Mas não parou por aí porque o sofrimento continuou com mais duas bolas na trave - uma de Douglas e outra de Rhodolfo - antes do apito final. Depois, na disputa por pênaltis, Marcelo Grohe salvou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.