Lucas Merçon / Fluminense
Lucas Merçon / Fluminense

Marcelo indica Fluminense com Gum e sem Léo contra o Nacional-URU

Equipes se enfrentam nesta quarta-feira, em Montevidéu, pela Copa Sul-Americana

Estadão Conteúdo

30 Outubro 2018 | 17h50

O técnico Marcelo Oliveira não confirmou a escalação do Fluminense para o duelo decisivo das quartas de final da Copa Sul-Americana, diante do Nacional-URU, quarta-feira, em Montevidéu. Em recuperação de problemas físicos, o lateral-direito Léo e o zagueiro Gum são as dúvidas para a partida.

Na última segunda-feira, ambos participaram do primeiro treino do Fluminense no Uruguai. Nesta terça, a equipe realizou o reconhecimento do gramado do estádio Parque Central, antes de uma atividade fechada à imprensa na arena do Montevideo Wanderers. E se não confirmou a equipe, Marcelo indicou que Gum deve estar em campo, enquanto as chances de Léo atuar são escassas.

"O Léo preocupa um pouco mais, fez apenas uma parte do treinamento, está um pouco inseguro. Ainda vamos testá-lo uma ultima vez antes de decidir. Sobre o Gum, temos a expectativa melhor, está com um pouco de dor no tornozelo, mas é o tipo de contusão que às vezes dá para o jogador jogar. E o Gum se posiciona muito bem, é importante, experiente. Vamos aguardar", declarou.

Gum deixou a partida de ida contra o Nacional, o empate por 1 a 1 na semana passada, no Engenhão, com problemas no joelho e no tornozelo. Já Léo se mostrou em fase avançada de recuperação de um edema muscular, mas, até pelo maior tempo de afastamento, deve ser desfalque. Marcelo inclusive já pensa em quem improvisar no setor, uma vez que Gilberto também está fora.

"Já treinamos outra opção, só não vou te falar agora, vamos aguardar amanhã. Seria uma improvisação, não temos outro atleta de ofício, mas temos confiança nos jogadores. Hoje, os atletas precisam jogar em mais posições, e isso nos dá confiança de que quem entrar o fará com força total", considerou.

Depois do empate em casa, o Fluminense precisa vencer ou empatar por um placar superior a 1 a 1 no Uruguai para avançar às semifinais. Marcelo sabe da dificuldade e elogiou o adversário, mas mostrou-se otimista.

"O importante é a gente entrar forte, com bom equilíbrio entre defesa e ataque. Precisamos marcar bem o Nacional, que tem uma equipe entrosada, com boa técnica, que movimenta muito. Estamos com muita confiança de que é possível passar, na mesma proporção que é difícil, pela qualidade do adversário", apontou.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Fluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.