TV Estadão | 16.08.2015
TV Estadão | 16.08.2015

Marcelo Oliveira afirma que ainda busca a zaga ideal para o Palmeiras

Na Copa do Brasil, treinador pode fazer novas mudanças

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2015 | 07h00

O técnico Marcelo Oliveira reconheceu que ainda está procurando a melhor formação para a zaga palmeirense. Na vitória sobre o Flamengo, por 4 a 2, no Allianz Parque, a zaga titular foi formada por Vitor Hugo e Jackson. Victor Ramos havia sido vetado por dores musculares e Leandro Almeida perdeu o lugar após as falhas nos últimos jogos. Quando foi apresentada a escalação de Jackson, grande parte dos torcedores aplaudiu nas arquibancadas do Allianz Parque.

 

Durante a partida deste domingo, Jackson fez o gol que abriu o placar, com um bela cabeçada aos cinco minutos, mas teve dificuldades para marcar o atacante Paolo Guerreo. Vitor Hugo teve atuação irregular diante do rápido ataque do Flamengo.

 

"Em relação ao Jackson, estamos buscando a melhor formação de zaga. Às vezes, a zaga a gente não pode avaliar individualmente, tem de ver o casamento dos dois zagueiros. Como o Flamengo tem um ataque muito rápido, optamos por uma zaga mais rápida. O Leandro Almeida não pode jogar na Copa do Brasil, temos o Victor Ramos, vamos avaliar. O Jackson vacilou em duas jogadas com o Guerrero, mas durante o jogo se comportou bem. O Guerrero é muito esperto", disse Marcelo Oliveira em entrevista coletiva após a vitória do Palmeiras. 

Para o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, quarta-feira, no Allianz Parque, a dupla de zagueiros pode ser modificada novamente. Marcelo indicou que poderá fazer mudanças na equipe. "A Copa do Brasil é um caminho mais curto (para a Libertadores) e vamos mudar o time do Palmeiras, ao menos pontualmente. Podemos fazer experiências com alguns jogadores. O Egídio, por exemplo, não jogou hoje porque estava suspenso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.