Divulgação
Divulgação

Marcelo Oliveira defende Amaral e Andrei: 'Se jogasse aberto, seria criticado'

Técnico rebate crítica sobre dificuldade na armação de jogadas

DANIEL BATISTA, Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2015 | 16h37

As cobranças em cima das escalações do Palmeiras parecem começar a incomodar o técnico Marcelo Oliveira. O treinador, assim como fez após a derrota por 2 a 1 para o Fluminense, na quarta-feira, mostrou, nesta sexta-feira, irritação quando questionado sobre a fragilidade na marcação e a falta de criatividade do time nas últimas partidas. O comandante palmeirense lembrou que tem suas convicções e não abrirá mão delas.

A irritação do treinador ocorreu após ser questionado sobre a má atuação da dupla de volantes formada por Amaral e Andrei Girotto. "Acontece que você vai jogar a Copa do Brasil, o primeiro jogo fora, e vai com o time aberto. Se levasse três gols e perdesse a classificação, seria criticado da mesma forma. Faço aquilo da minha convicção. Eles são do Palmeiras e não estão aqui por acaso", comentou o treinador, que fez questão de elogiar, em especial, Andrei Girotto, bastante criticado nas últimas partidas.

"O Girotto é alto, chuta bem e treina bem. Você só vai saber se deu certo depois do jogo", explicou. Nos últimos seis jogos em que foi titular, o volante foi substituído. Ao ser questionado se existia a possibilidade de dar uma chance para Matheus Salles, garoto da base que tem ficado no banco de reservas, Marcelo Oliveira adotou a ironia. "Agradeço a sugestão, porque o menino está treinando bem."

Outro ponto que deixou o treinador irritado foi o questionamento sobre a dificuldade na criação das jogadas. Como se tornou um mantra para ele, Marcelo Oliveira voltou a lamentar a ausência de Gabriel e Arouca e disse que qualquer time sentiria a falta da dupla. "Se pega os três primeiros colocados do Brasileiro e tira quatro jogadores de cada time, muda completamente o estilo de jogo. Não estamos jogando com Gabriel, Arouca, Robinho e Cleiton Xavier e isso faz a diferença. Estamos tentando conseguir uma solução, mas as características dos jogadores são bem diferentes", explicou.

O elenco do Palmeiras realiza nesta sexta-feira um treinamento fechado - sem a presença da imprensa - no estádio do Pacaembu, palco da partida contra o Sport, sábado, às 21h. O treinador não quis antecipar a escalação, mas a tendência é que ele poupe a maioria dos jogadores. O tão criticado Andrei Girotto é desfalque certo.

"Não queremos fechar o treino para vocês. A questão é que tem a possibilidade de mudanças e acaba sendo importante quando você não conhece o time adversário que vai jogar", justificou o comandante palmeirense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.