Marcelo Oliveira diz confiar no Cruzeiro após empate 'desastroso' na Libertadores

Igualdade contra o Defensor deixa a equipe mineira na terceira colocação do Grupo 5

Agência Estado

21 de março de 2014 | 09h08

BELO HORIZONTE - O Cruzeiro complicou sua vida na Libertadores na última quinta-feira, com o inesperado empate em casa diante do Defensor, do Uruguai, por 2 a 2. Depois de abrir 2 a 0, a equipe mineira permitiu que o adversário reagisse e chegasse ao empate já aos 48 minutos do segundo tempo. Apesar do resultado "desastroso", o técnico Marcelo Oliveira garantiu que segue confiando na classificação para as oitavas de final.

"O resultado foi terrível, desastroso, porque tínhamos um 2 a 0, com uma condição boa, com volume e controle de jogo, mas não acabou. Somos profissionais, vamos absorver. Dependemos de duas vitórias para classificar e vamos buscar. Temos condições para isso, até pelo que mostramos hoje (quinta)", declarou.

O empate deixou o Cruzeiro na terceira colocação do Grupo 5, com quatro pontos, três atrás do próprio Defensor, segundo lugar, e cinco atrás da Universidad de Chile, que lidera a chave. Assim, o time mineiro não pode nem pensar em outros resultados que não sejam vitórias sobre a própria Universidad de Chile, em Santiago, e o Real Garcilaso, no Mineirão.

"Se já íamos lutar, agora vamos lutar mais ainda por estes dois resultados. Não estamos buscando nada que não se possa imaginar. Nós temos condições de ir lá no Chile, trazer os três pontos para cá, encher o estádio novamente, na partida contra o Real Garcilaso, e ganhar o jogo", disse Marcelo Oliveira.

Autor do segundo gol cruzeirense - o primeiro foi marcado por Everton Ribeiro -, Júlio Baptista também lamentou o empate, principalmente pela forma como aconteceu o empate. Quando parecia que o time da casa tinha o controle da partida, acabou falhando na marcação e cedeu a igualdade.

"Jogo de Libertadores é diferente. As partidas são resolvidas nos detalhes. Um detalhe de uma jogada que você chega atrasado, acaba fazendo você levar um gol que acaba te complicando no jogo. Mas futebol é isso e serve de lição para jogarmos fora e saber como é um jogo de Libertadores", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.