Javier Calvelo/Reuters
Javier Calvelo/Reuters

Marcelo Oliveira diz que Fluminense merecia vencer e quer sequência de vitórias

Primeira partida do Tricolor das Laranjeiras no returno do Brasileiro será contra o Corinthians, quarta-feira, no Rio

Estadão Conteúdo

20 Agosto 2018 | 09h12

O empate sem gols contra o América-MG, no estádio Independência, em Belo Horizonte, no domingo, pela 19.ª rodada do Campeonato Brasileiro, não foi bem recebido pelo técnico Marcelo Oliveira. Ele não ficou satisfeito com o resultado, pois considerou que o Fluminense foi melhor e merecia vencer. Mas ressaltou que é preciso uma sequência de vitórias para ter mais tranquilidade no futuro.

"O empate, às vezes, em um jogo fora de casa, em circunstâncias de dificuldade, pode até ser valorizado, mas no Maracanã precisamos de uma boa vitória e engatar uma sequência para subir na competição", destacou Marcelo Oliveira, em entrevista coletiva, falando sobre a partida contra o Corinthians, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, pela 20.ª rodada - a primeira do returno.

Sobre o jogo em Belo Horizonte, o treinador disse que gostou mais do time após o intervalo. "O segundo tempo do Fluminense foi bem melhor que o primeiro. Conseguimos sair para o ataque, criamos situações e com um pouquinho mais de capricho teríamos saído com a vitória, e foi para isso que viemos aqui. Um pouco de chateação pelo resultado, mas o campeonato é difícil, enfrentamos um adversário mais descansado, enquanto viemos de uma maratona. O time reagiu bem e teve oportunidade de ganhar. Precisamos encaixar as vitórias", comentou.

Antes da partida em Minas Gerais, o Fluminense jogou no Uruguai na última quinta-feira, quando venceu o Defensor e avançou às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Marcelo Oliveira crê que o time pode se dar bem nas duas competições deste segundo semestre.

"É possível ir bem nas duas competições e é nosso objetivo. Nosso objetivo é estar entre os primeiros do Campeonato Brasileiro, na zona de classificação para Libertadores. É muito difícil jogar seis jogos em 13 dias com viagens para fora do Brasil, mas teremos agora um período com mais folga e temos que priorizar as duas competições, trocando um ou outro jogador em função do desgaste. Hoje (domingo) tinham três nessa situação de desgaste e monitoramos ao longo do jogo. Temos confiança nos jogadores que trabalham muito duro no treinamentos, acredito que a gente consiga chegar bem na Sul-Americana e no Brasileirão", disse o técnico tricolor.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.