Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Marcelo Oliveira enche a bola do elenco do Palmeiras

'Me rendi à grandeza do clube', exalta o novo técnico da equipe

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

16 de junho de 2015 | 13h29

Em uma lotada sala de imprensa, o técnico Marcelo Oliveira foi apresentado nesta terça-feira e revelou que aceitou o desafio de comandar o Palmeiras pela grandeza e estrutura do clube. Com contrato até dezembro do ano que vem, ele estreia no comando da equipe na partida contra o Grêmio, sábado, em Porto Alegre. Em sua chegada, disse acreditar que nenhum elenco no futebol brasileiro tem tanta qualidade quanto o palmeirense.

"Me rendi à grandeza do clube. Analisei o projeto do Palmeiras e vi que se trata de um time se organizando. Tivemos uma reunião nesta terça com a comissão técnica permanente e me impressionei com a estrutura do Palmeiras. As coisas bacanas que se fazem aqui, também considerei o elenco do Palmeiras. Podem ter elenco parecido, mas não melhor do que o nosso. Precisamos formar um time forte e criar um lastro de utilizar bem essa presença do torcedor, que é impressionante quando joga em casa. Temos de criar um aproveitamento alto em casa, algo tão importante para um campeonato de pontos corridos", comentou o novo comandante do Palmeiras, que ocupa a vaga de Oswaldo.

Marcelo revelou ter ficado impressionado com a estrutura que viu no Palmeiras. "Estou muito honrado e orgulhoso por me apresentar ao Palmeiras, uma instituição grandiosa, com 11 títulos nacionais, por isso é chamado de Academia. Pensei em descansar, depois de dois anos e cinco meses de trabalho no Cruzeiro, mas fiquei impressionado e estimulado com o projeto do Palmeiras. Chego com entusiasmo e entendendo que podemos fazer coisas importantes pela combinação de aspectos", disse. Marcelo foi apresentado pelo presidente Paulo Nobre. É o quinto treinador na gestão de Nobre.

Junto com Marcelo, chegam ao clube dois auxiliares: Ageu Gonçalves e Cleocir Marcos dos Santos, o Tico, além de Juvenilson de Souza como preparador físico. O técnico já comandará seu primeiro treinamento nesta terça-feira. O treinador ainda assegurou que sua amizade com Alexandre Mattos, homem forte do futebol, não foi o principal motivo para o acerto. "A amizade com o Alexandre é separada da relação profissional. O que me dá esse estímulo para tocar o projeto é que a situação é parecia com o a do Cruzeiro, que vinha de duas temporadas ruins, chegamos para montar um time e a perspectiva é positiva", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.