Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Marcelo Oliveira espera que torcida faça diferença para o Fluminense em mata-mata

Tricolor enfrenta o Defensor, do Uruguai, às 21h45 desta quinta-feira

Estadão Conteúdo

01 Agosto 2018 | 17h40

O técnico Marcelo Oliveira disse que o Fluminense conta com o apoio da torcida na partida de ida pela segunda fase da Copa Sul-Americana, às 21h45 desta quinta-feira, no Maracanã, no Rio. O confronto, que vale classificação para as oitavas de final do torneio, será contra o Defensor, do Uruguai.

+ Atlético-MG vence Fluminense e fatura título da Taça BH

"O apoio da torcida é muito importante. Tenho dito isso, que em todas as vezes que enfrentei o Fluminense no Maracanã foi difícil, porque a torcida apoia e incentiva muito o time. Esse apoio afeta diretamente o jogador dentro de campo, que quer dar uma resposta positiva, então, tenho certeza que a torcida vai nos ajudar muito nesse jogo" destacou o treinador, nesta quarta-feira, no CT do clube.

O técnico também destacou a importância da competição para o Fluminense. "Às vezes, tem de fazer um sacrifício, conseguir se superar e é essa superação que pode nos fortalecer. Vamos com tudo nessa competição, é muito importante para o Fluminense em vários aspectos e esperamos fazer um jogo competitivo e impor nossa condição de mandante", disse Marcelo

Ele assegurou não ter preferência por decidir dentro ou fora de casa uma série de mata-mata. "É muito teórico, uns acham que é melhor decidir em casa, mas você vai precisar fazer o resultado da mesma forma. O bom de ser mandante é que você está acostumado com seu campo, tem sua torcida a favor, mas esse tipo de competição tem que estar sempre atento, se possível não sofrer gol e marcar para ter uma vantagem no jogo de volta" concluiu.

Marcelo prometeu estudar o rival uruguaio antes da partida e avisou que o Fluminense precisará ter paciência para superá-lo. "Já temos as informações básicas do Defensor, mas teremos uma reunião com um membro da nossa equipe que faz a análise mais detalhada do adversário. Eles fazem bem o jogo defensivo, vamos ter que ter paciência, jogar pelo lado do campo e impor desde o início um jogo forte para tentar sair com a vitória", declarou o treinador, que está à frente do time desde junho e acumula duas vitórias, um empate e uma derrota até agora.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.