Marcelo Oliveira lamenta chances perdidas em empate

O técnico do Atlético-MG, Marcelo Oliveira, bem que tentou fazer com que seu time saísse do Mineirão com uma vitória contra o Figueirense, neste sábado. Mesmo jogando de forma mais ofensiva que o adversário, o time mineiro não conseguiu marcar, e para o treinador atleticano a culpa foi a falta de qualidade nas finalizações."O maior pecado nosso foi não decidir o jogo quando tivemos as chances. E não foram chances fortuitas, foram chances claras criadas por nós, jogadas de tabela, jogadas em profundidade em que chegamos na cara do gol", disse Marcelo Oliveira. O treinador fez duas modificações ainda nos primeiros minutos do segundo tempo, colocando o meia Petkovic e atacante Castillo, mas a bola insistiu em não entrar."Tentamos de todas as formas, mas faltou um pouco de capricho nos cruzamentos, na hora de meter a bola para o atacante fazer o gol", afirmou Marcelo Oliveira, reclamando também do último passe do Atlético, que criou suas melhores chances nas bolas alçadas na área pelo lateral-esquerdo César Prates.Do outro lado, o time atleticano tinha a equipe do técnico Mário Sérgio, conhecido por priorizar o estilo defensivo de jogo. Neste sábado não foi diferente, o Figueirense pouco se arriscou no ataque, e Marcelo Oliveira também apontou a retranca catarinense como fator para o empate. "O Figueirense veio com uma proposta de ter dez jogadores atrás da linha da bola e isso dificultou muito a nossa chegada ao gol adversário", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.