Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Marcelo Oliveira lamenta excesso de chutões do Palmeiras

Técnico lamenta pouco tempo para consertar erros

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

21 de junho de 2015 | 12h05

No primeiro jogo à beira do campo pelo Palmeiras, o técnico Marcelo Oliveira não gostou do que viu. Na derrota de sábado em Porto Alegre, por 1 a 0 para o Grêmio, pelo Brasileirão, o novo comandante identificou como falha mais grave do time o excesso de lançamentos longos e a falta de toque de bola para criar as jogadas em partida em que a equipe pouco levou perigo ao gol de Tiago.

O novo técnico lamentou que teve pouco tempo para trabalhar - somente quatro atividades - e a pobreza no repertório de criação de jogadas. "A gente estava erguendo muito a bola para o campo de ataque. Temos que trabalhar para sair por baixo, tocando a bola", comentou ao fim do jogo. Estreante como titular, o atacante Alecsandro foi bastante acionado, mas os lançamentos geralmente favoreceram à defesa gremista.

O Palmeiras levou perigo somente duas vezes durante toda a partida. No começo do segundo tempo, uma cabeçada de Alecsandro seguida de outra de Vitor Hugo foram os únicos lances em que o goleiro Tiago trabalhou. Mesmo atrás no placar, com o gol marcado por Maicon aos nove minutos do segundo tempo, o time não ameaçou e ainda passou sustos nos contra-ataques do Grêmio.

Os espaços na defesa também preocupam o técnico, que cobrou mais pegada. "Precisamos fazer uma marcação mais rigorosa a ajustada. Perder aqui (na Arena Grêmio) não é anormal, mas a nossa produção foi realmente abaixo do que podíamos", disse. O próximo jogo do Palmeiras é no próximo domingo, contra o São Paulo, no Allianz Parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.