Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Marcelo Oliveira pede mais marcação e equilíbrio ao Palmeiras

Treinador não está satisfeito com desempenho da equipe

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2015 | 07h00

Quem não sabia o resultado da partida contra o Cruzeiro, após ouvir as declarações do técnico Marcelo Oliveira, teve a certeza que o Palmeiras perdeu o jogo realizado nesta quarta-feira, no Allianz Parque. O treinador não poupou críticas ao desempenho do time alviverde, mesmo com a vitória por 2 a 1 sobre os mineiros. Algo que ele tem repetido e voltou a falar é a fragilidade da equipe na marcação.

"Não gosto deste tipo de jogo. Precisamos ser mais equilibrado. Era um time muito técnico para perder a bola do jeito que a gente perdeu. E o pior disso é que os adversários estão jogando muito dentro da nossa casa, com jogadores livres. Fica muito arriscado e perigoso", disse o treinador. 

O treinador admite que o time ainda não conseguiu achar o ponto de equilíbrio para conseguir manter o esquema ofensivo sem desproteger a defesa. "Não existe proposta de só jogar e deixar o adversário jogar. É muito perigoso. Poderia levar dois gols do Cruzeiro, como levamos do Flamengo. Precisamos marcar mais. Estamos muito expostos e ainda não encontramos a sintonia para que as coisas encontrem de forma mais equilibrada. E tinha todo o cenário. Não gostei da produção como um todo", resumiu. 

Apesar das críticas, Marcelo Oliveira comemorou o resultado positivo, já que o Palmeiras passa a jogar pelo empate no jogo da volta, marcado para a quarta-feira, às 22h, no Mineirão. "A vitória é sempre importante. O futebol está equilibrado e não tem ninguém absolutamente melhor do que o outro. Sempre temos que comemorar a vitória, mas o ideal era não ter levado o gol. 1 a 0 é melhor que 2 a 1, mas não podemos lamentar a vitória. O desempenho poderia ser melhor", completou.

Uma das coisas que o treinador pretende fazer a equipe "aprender" é lidar com a vantagem de abrir o placar nos minutos iniciais. "É a segunda vez que a gente faz gol logo cedo e não usufruimos disso. Quando se faz um gol, é fundamental ficar com a bola e ter o contra-ataque. E mais uma vez, a gente vacilou. O Cruzeiro jogou muito, deve ter ficado mais com a bola", emendou.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.