César Greco/Divulgação
César Greco/Divulgação

Técnico do Palmeiras tenta fazer mistério, mas repete formação

Treinador testa mais uma vez Amaral e Barrios entre os titulares

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2015 | 17h29

Com diversas opções para escalar o time do Palmeiras, o técnico Marcelo Oliveira fez mistério sobre a formação titular para o jogo contra o Cruzeiro, no domingo, às 16h, no Mineirão. Mas, após a entrevista coletiva desta sexta-feira, o treinador praticamente indicou durante o treino que deve repetir a escalação da equipe no fim de semana.

Na primeira parte da atividade, os jogadores fizeram um rápido trabalho de cruzamentos e finalização. Em seguida, Marcelo Oliveira separou a equipe titular e repetiu a formação do treino de quinta-feira com Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Leandro Almeida e Egídio; Amaral, Arouca, Robinho, Rafael Marques e Dudu; Barrios. Já a formação reserva foi Aranha; Nathan, Vitor Hugo, Jackson e Mouche; Andrei, Cleiton Xavier, Zé Roberto, Kelvin e Cristaldo; Alecsandro.

Os goleiros Fábio, Jailson e Vinicius, além de Daniel, Matheus Salles, Taylor, Fellype Gabriel, Gabriel Jesus e Leandro Pereira ficaram no campo ao lado, fazendo um trabalho tático. No segundo tempo do coletivo, Marcelo Oliveira tirou Barrios do coletivo e colocou Leandro Pereira entre os titulares. E, no reserva, ele trocou Kelvin por Gabriel Jesus. Pouco depois, Amaral também deixou a equipe para a entrada de Cleiton Xavier, repetindo a mudança feita no coletivo de quinta.

Antes do treinamento coletivo, Marcelo Oliveira deu entrevista coletiva e não quis revelar quem serão os escolhidos para iniciar a partida. No meio, no lugar de Gabriel, lesionado, ele cogitou Amaral e Cleiton Xavier. "O Amaral fica mais defendendo. E outra opção seria com o Robinho mais atrás e o Cleiton Xavier ou até eles trocando de posição. É uma formação que pretende usar mais em casa, mas em algum momento fora pode ser utilizada porque todos vão fazer parte da marcação", disse o treinador.

No ataque, Barrios é o mais cotado, mas o comandante palmeirense admitiu que pode fazer mudanças. "Ainda não decidi. Temos quatro atacantes com qualidade semelhantes. Podemos rodar. Tem uma situação que o Cristaldo pode jogar em outra opção e o Alecsandro não pode jogar a Copa do Brasil. Seria uma possibilidade de testar para rodar e ter um jogador descansado", explicou.

Marcelo Oliveira ainda explicou a diferença do time com Barrios ou Leandro Pereira. "O Barrios é mais experiente e consegue reter mais a bola no ataque. O Leandro Pereira tem mais velocidade e gosto do Alecsandro pela combinação de qualidade e tem o Cristaldo ainda. A questão (do Barrios) é que ele estava em fase de adaptação", completou o técnico.

O elenco palmeirense faz o último treino antes de encarar o Cruzeiro neste sábado, às 9h, na Academia de Futebol, em atividade que não terá a presença de jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.