Bruno Cantini|Atlético MG
Bruno Cantini|Atlético MG

Marcelo Oliveira vê entrosamento como problema no Atlético-MG

Treinador terá 11 desfalques contra o Grêmio

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2016 | 18h52

O Atlético-MG vai enfrentar o Grêmio nesta quinta-feira, no Independência, pela terceira rodada do Brasileirão, com uma equipe inteira de desfalques. Não que o técnico Marcelo Oliveira esteja se dando ao luxo de poupar os titulares. Mas sim porque a lista de desfalques do time mineiro tem 11 atletas, a maioria deles titulares.

"A preocupação não é a qualidade dos que irão jogar porque todos podem corresponder muito bem, mas o entrosamento que o Atlético-MG já tem, com uma base de mais de dois anos, jogadores já entrosados. Mas, no futebol, temos que conviver com todas as situações", comentou o treinador, nesta terça-feira, em entrevista coletiva.

A lista de desfalques começa com o lateral-esquerdo Douglas Santos, o zagueiro Erazo e o meia Cazares, que estão a serviço de suas seleções para a Copa América Centenário, e pelo volante Leandro Donizete, que cumpre suspensão por uma agressão ao gremista Douglas ainda no Brasileirão do ano passado. O atacante Luan e lateral-esquerdo Mansur estão no departamento médico e não voltam a jogar tão cedo.

Além eles, também estão fora por questões físicas o zagueiro Leonardo Silva, os atacantes Robinho e Lucas Pratto e os meias Dátolo e Carlos Eduardo. Com tantos desfalques, Marcelo Oliveira preferiu fazer mistério e fechou o treino desta terça-feira na Cidade do Galo. A escalação só deve ser conhecida momentos antes da partida.

"Estamos estruturando o time. Fizemos trabalho de marcação e posicionamento. Gostei muito, mas não defini o time. Como existe possibilidade de mudar muitas posições, o time será escalado no estádio. Será uma decisão para o adversário, que pode ter alguma dúvida, embora isso não ganhe jogo", comentou ele na entrevista coletiva.

A partida vai marcar o reencontro de Marcelo Oliveira, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro, com a torcida do Atlético. "Estou extremamente estimulado e feliz. É como se fosse o primeiro trabalho para mim e vou me dedicar muito. O Atlético tem uma combinação de ingredientes muito favorável, como estrutura, tradição, camisa, centro de treinamento e elenco. Isso não garante nada, mas nos possibilita chegar bem no final ano. Espero comemorar um grande título pelo Atlético esse ano", concluiu o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.