Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Marcelo Oliveira vê trabalho de Dorival dando resultado

Volante acredita que o Palmeiras voltou a ser respeitado com boas atuações e projeta jogo com o Bahia como se fosse uma final

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2014 | 13h22

Embora venha de três rodadas consecutivas sem vitórias e ocupe a 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, com 36 pontos, três a mais do que o Botafogo, melhor time dentre os que estão na zona de rebaixamento, o clima no Palmeiras é de tranquilidade e confiança. Para o volante Marcelo Oliveira, a evolução da equipe se deve ao trabalho do técnico Dorival Júnior, que permitiu fazer com que o Palmeiras volte a ser respeitado no Campeonato Brasileiro nesta reta final.

"Nós sabemos que melhoramos bastante e conquistamos o respeito dos adversários de novo. Isso é fruto de muito trabalho no dia a dia com o Dorival Junior, que conversa com todo mundo. Está sendo positivo para os resultados aparecerem", analisou o volante palmeirense.

Apesar da confiança, o fato de ter deixado duas vitórias escaparem nos últimos minutos ainda provoca amarguras. O Palmeiras vencia Cruzeiro e Corinthians até o fim desses jogos, quando levou o gol de empate e ficou no 1 a 1 nas duas ocasiões, deixando se somar quatro pontos, que levariam o time para 40 e para a parte de cima da tabela.

"Sentimos bastante pelas derrotas e por aquilo que estava se desenhando nessas partidas, mas estamos bem e de cabeça erguida. Sabemos que poderíamos ter vencido Cruzeiro e Corinthians, mas tem de levantar a cabeça, já que estamos no caminho certo", completou.

Na próxima rodada, o Palmeiras enfrentará o Bahia, às 20 horas do domingo, em Salvador. A equipe comandada por Gilson Kleina, ex-técnico do Palmeiras, é vice-lanterna do Brasileirão e adversária direto na briga contra a zona de rebaixamento. "É mais uma decisão, como temos encarado todos os jogos. Seja clássico, jogo com o líder, contra o último colocado. Todos os jogos são decisivos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.