Marcelo Ramos: Não vou me entregar

A menos que haja uma reviravolta completa nos últimos 10 jogos, o desmanche corinthiano deve começar por Marcelo Ramos. O próprio atacante, que só fez dois gols jogando pelo Corinthians, é o primeiro a reconhecer que o seu futuro é no mínimo sombrio no Parque São Jorge. "Vontade de ficar eu tenho mas não depende só de mim. E reconheço que a situação é complicada", desabafa o atacante, já em tom de despedida. "Sei que o torcedor deve estar triste porque não conseguir fazer aqui o que fiz em outros clubes. Mesmo assim, vou aproveitar esses 10 jogos restantes para reverter o quadro". Marcelo Ramos tem duas explicações para justificar o seu mau desempenho no Corinthians. O primeiro: uma fratura da fíbola, logo na sua chegada ao Parque São Jorge. "Foi a contusão mais grave que eu tive na carreira. Me atrapalhou bastante". O segundo: teve o azar de voltar quando o time vivia uma fase negra, praticamente só de derrotas. "Aí ficou difícil. A equipe não estava conseguindo vencer os jogos e eu mesmo senti. Admito que o meu desempenho aqui no Corinthians foi atípico mas não vou me entregar. Ainda tenho dois meses até o final do ano e 10 jogos para fazer. De repente, a história muda". Para enfrentar o Paraná, no domingo, Marcelo Ramos terá que disputar a posição com Jô, cujo retrospecto é muito melhor. De sua parte, o técnico Tite prometeu justiça na escolha entre eles. "Vai jogar aquele que for melhor nos treinamentos", assinalou o técnico. Tite gosta de Marcelo Ramos como atleta e como gente. "É um belo jogador e um ótimo caráter. Como jogador, tem muita qualidade. É um jogador de finalização. Mas independentemente de suas qualidades como atleta, ou de ser ou não meu jogador, vou torcer por ele sempre". O próprio Jô, que pode deixar Marcelo Ramos mais uma vez no banco, fala com respeito do companheiro. "É um grande jogador e já provou isso em outras equipes. Mas eu tenho que pensar em fazer o meu trabalho. A decisão fica para o nosso treinador". Fábio Baiano - Além de um novo atacante, o Corinthians ainda terá a volta de Fábio Baiano, domingo, contra o Paraná. Fábio não levou em consideração as críticas do capitão Ânderson, após o jogo contra o Coritiba. O zagueiro lamentou a ausência de Fábio Baiano e chegou a sugerir que o companheiro foi irresponsável pelo cartão amarelo (o terceiro) bôbo recebido contra o Santos, no jogo anterior. "Acho que o Ânderson não teve nenhuma intenção de me ofender. Ele só quis dizer que eu fiz falta à equipe, como faria o Gil, o próprio Ânderson e qualquer outro jogador importante do grupo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.