Marcelo Teixeira admite nova candidatura

O presidente do Santos, Marcelo Teixeira, admitiu neste domingo que pode se candidatar à reeleição do clube em dezembro, mas enfatizou que isso só ocorrerá em último caso. ?Não há necessidade de me candidatar porque luto, particularmente, para a preservação do trabalho que estamos desenvolvendo", disse ele, acrescentando. "É isso o que eu quero, mas se perceber que algum fato venha criar algum tipo de possibilidade de desvio ou de interrupção desse trabalho, aí sim poderei exercer o meu direito e tomar uma outra atitude." Marcelo Teixeira já foi reeleito e o atual estatuto não permite uma nova reeleição. Mas ele está passando por um processo de reforma e conselheiros ligados à situação já apresentaram emendas para que não haja limite no número de reeleição. O presidente comentou esse fato. ?Foi uma manifestação dos conselheiros, mas eu tenho uma posição definida." Ele entende que ?foi um momento de realização pessoal ver o reconhecimento do trabalho? que está desenvolvendo e utilizará essa situação para encaminhar da melhor forma possível o processo sucessório. Para Marcelo Teixeira, o melhor para o clube é que haja uma conciliação. ?Se for possível, vamos compor e unir o Santos em benefício de fazermos uma chapa única, se necessária." O presidente ressaltou que não pretende ser candidato. ?Creio que não será necessário, pois haverá a conscientização de todos, que saberão medir a importância do momento vivido pelo Santos e, com certeza, vão se despojar de vaidades, preconceito ou questões pessoais para pensar mais alto no Santos." O processo eleitoral ainda não começou oficialmente, mas a movimentação é no sentido de conseguir uma chapa única. Conselheiros ligados a Teixeira investem na sua reeleição, saindo como cabeça de chapa de um movimento de conciliação. Dentro desse contexto, a reaproximação tímida que Pelé está tendo com a atual diretoria é um fator que pode pesar para que haja o consenso pretendido. O Rei ficou magoado na eleição que conduziu Marcelo Teixeira à presidência, quatro anos atrás, em que torcedores chegaram a exibir faixas contra ele em jogos na Vila Belmiro. Ele fazia um trabalho com os times de base e deixou o cargo junto com seu amigo e então presidente Samir Abdul-Hak, que foi substituído por Teixeira. Nos últimos dias, Pelé elogiou Teixeira e foi ver como estão as obras do Memorial das Conquistas que está sendo construído na Vila Belmiro e que tem um espaço dedicado a ele. Time - Marcelo Teixeira comentou também a situação do Santos no Brasileiro, depois de ter conseguido apenas um ponto dos nove últimos disputados. ?O Santos teve alguns problemas de contusão nos últimos jogos e isso tem prejudicado muito o desempenho da equipe, o que não é uma justificativa porque temos de reconhecer que nossos adversários são também merecedores dos resultados." Apesar de a situação do Santos estar se complicando, Teixeira lembrou que ?tem muita competição pela frente, com treze jogos e há muitos pontos em disputa". Admitiu o favoritismo do Cruzeiro. ?É nítido, pois conseguiu abrir uma vantagem, mas ela não pode ser considerada definitiva até porque as equipes são muito fortes, equilibradas e muita coisa pode mudar até o fim da competição." Teixeira lembrou que as equipes que estavam abaixo estão subindo e se aproximando dos líderes para mostrar o equilíbrio que há no Brasileiro. ?E o próprio Cruzeiro, que tem adversários difíceis pela frente, pode manter essa diferença ou perdê-la; é tudo uma questão de momento e quem mantiver a melhor regularidade nos próximos jogos será o campeão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.