Maurizio Degl'Innocenti/EFE
Maurizio Degl'Innocenti/EFE

Marchisio rompe ligamento do joelho em treino da Itália

Lesionado, meia perderá o restante da temporada pela Juventus

Estadão Conteúdo

27 Março 2015 | 12h50

O meia Claudio Marchisio rompeu o ligamento cruzado anterior do seu joelho direito durante treino da seleção italiana, nesta sexta-feira, e está definitivamente fora do restante desta temporada do futebol europeu, pois esse tipo de lesão grave costuma ter um período estimado de seis a oito meses de recuperação.

O jogador da Juventus se machucou ainda no aquecimento do treino que serviu de preparação para o jogo contra a Bulgária, neste sábado, em Sofia, pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2016. Enrico Castellacci, médico chefe da seleção italiana, informou que um exame de ressonância magnética foi realizado pouco depois do ocorrido no Instituto "Fanfani" de Florença e o mesmo exibiu "uma lesão subtotal do ligamento cruzado anterior".

Com isso, o jogador foi liberado da seleção para se reapresentar ao seu clube, onde será reexaminado para que os médicos da Juventus definam o tratamento ou processo cirúrgico a ser realizado no jogador.

Marchisio, por sinal, se tornou o terceiro jogador de destaque do meio-campo da equipe de Turim a se machucar de forma grave nos últimos meses. Antes dele, Pirlo sofreu uma lesão muscular que o afastou dos gramados por um período previsto de um mês, desfalcando também a seleção italiana. Já o meia francês Paul Pogba terá de ficar aproximadamente 50 dias sem jogar após sofrer grave lesão muscular em jogo diante do Borussia Dortmund, na semana passada, pela Liga dos Campeões.

Além de Marchisio, o lateral Manuel Pasqual e o meia-atacante Alessandro Florenzi também foram cortados do confronto da Itália diante da Bulgária por causa de lesões menores. A seleção atualmente divide a liderança do Grupo H das Eliminatórias da Eurocopa de 2016 com a Croácia, ambas com dez pontos. Após encarar os búlgaros, os italianos farão amistoso com a Inglaterra na próxima terça-feira, em Turim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.