Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Márcio Araújo afirma que Palmeiras precisa vencer jogando como visitante

Volante alviverde fez o alerta já que clube só conquistou 3, dos 19 pontos ganhos, jogando fora

AE, Agência Estado

25 de julho de 2011 | 17h45

SÃO PAULO - Cinco jogos como visitante no Brasileirão, apenas três pontos conquistados. Atuar fora de seus domínios tem sido a pedra no sapato do Palmeiras. Em casa, o time venceu cinco vezes, só empatou uma, e ainda não tomou gols. Para desgarrar do pelotão secundário e almejar brigar pela liderança contra o Corinthians, o time alviverde sabe que precisa melhorar seu desempenho jogando longe de São Paulo.

"A gente sabe o quanto precisamos vencer fora de casa, mas nossa campanha é muito parecida se comparada com os outros clubes. Com exceção do Corinthians, que vem sendo espetacular, nós estamos na briga. A diferença está justamente em quem consegue somar pontos fora de casa", disse nesta segunda-feira o volante Márcio Araújo.

Com 19 pontos, o Palmeiras é o quinto colocado, a três do São Paulo, vice-líder. Está no grupo dos que se classificariam à Libertadores porque o Vasco, quarto, já tem vaga garantida. Fez, porém, seis jogos em casa e cinco fora, enquanto estes dois rivais têm proporção inversa: cinco em casa e seis fora. Na próxima quarta-feira, pela 12.ª rodada, o jogo é contra o Figueirense, fora de casa.

"Não podemos ter medo de ninguém. Nessas onze primeiras rodadas, jogamos de igual para igual com todo mundo. Nos jogos em que não vencemos, deixamos a desejar em pequenos detalhes. Infelizmente, tivemos poucas chances nos dois últimos jogos, mas não jogamos mal", garante Araújo.

O volante sabe que, para o time crescer na competição, não pode se deixar levar pelas críticas da torcida. No jogo contra o Flu, neste domingo, Marcos Assunção e Luan foram hostilizados. "A gente não pode ficar comentando e discutindo, só trabalhar. O Assunção tem 35 anos, é um cara de caráter e um profissional dos mais sérios. Treina muito, tem atitude dentro e fora de campo, está sempre brincando. Com o Luan é a mesma coisa, é um atleta comprometido, que dá o máximo pela equipe. São pessoas sensacionais e espero que essa situação seja resolvida com naturalidade", destacou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCampeonato Brasileiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.