Márcio é vaiado por todos no Pacaembu

Mal acabou a partida e Márcio Bitencourt recebeu a maior vaia desde que começou a trabalhar como técnico. Os torcedores não perdoaram a decepção de empatar com o Atlético Mineiro em 1 a 1 no Pacaembu e descontaram a frustração vaiando e xingando o treinador do Corinthians. ?Saí de campo com o gosto da derrota?, reconheceu o treinador no vestiário. Vários conselheiros que estavam no estádio já falavam na substituição de Márcio por Nelsinho Baptista que acabou de deixar o futebol japonês. O jogo de domingo no Rio, contra o Flamengo se torna de risco para a permanência de Márcio. A crítica é que o treinador fez substituições medrosas, que atraíram o Atlético Mineiro.?Esse empate foi mesmo uma derrota. No futebol você tem a chance de matar, não mata e depois tem de passar por isso. Tentamos ter cautela, mas não deu?, resumiu Márcio. ?Muita gente acha que ganhar dos times que estão ameaçados de rebaixamento é mais fácil. Mas é mais difícil. Enquanto eu tiver tranqüilidade para trabalhar, vou ficar. Se a diretoria vai tomar alguma atitude em relação à minha permanência? Isso é problema da diretoria. Eu estou tranqüilo?, dizia, sem convicção, o técnico corintiano.?Não tem como não ficar frustrado. Nós deixamos escapar dois pontos em casa. Uma vitória seria valiosa na nossa briga pela liderança. Estamos saindo tristes do gramado?, admitia Betão, desolado. ?Não é só o torcedor que está lamentando. Nós também. Demos bobeira e deixamos um atacante (Marques) livre. Isso não poderia acontecer?, confirmava Marinho.?Nós conseguimos um excelente resultado. Sabíamos que a partida seria dificílima aqui no Pacaembu. Conseguimos o gol de empate no finalzinho. Foi ótimo. Esse ponto foi uma conquista?, dizia Euller. ?Anulamos as peças importantes do Corinthians?, comemorava Marco Aurélio. Marcelo Mattos tomou o terceiro cartão amarelo e não jogará contra o Flamengo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.