Márcio evita falar sobre reforços

O técnico do Corinthians, Márcio Bittencourt, foi bombardeado hoje com mais perguntas de jornalistas sobre a possível chegada de reforços. Ao contrário do que ocorreu a semana passada, quando não escondeu nada e revelou até o interesse no meia gremista Anderson, Márcio apareceu hoje mais comedido nas declarações. Ele evitou ao máximo falar sobre reforços. "Isso é um assunto interno", repetiu Márcio seis vezes durante a entrevista coletiva no Parque São Jorge. "Tenho conversado muito com a diretoria do clube e o presidente da MSI (o iraniano Kia Joorabchian), mas não posso falar o que tem sido discutido." Apesar do pouco tempo de comando (três semanas), Márcio já parece escolado no trato com a imprensa e na pressão de dirigentes e conselheiros. "Aqui no Corinthians tem que ter couro grosso", diz ele. O técnico não quis comentar a saída dos jovens Fininho e Wilson, que deverão ser emprestados a outros clubes para ganharem experiência. Também não falou sobre a possível venda de Jô para o Anderlecht, da Bélgica. A proposta que chegou ao Corinthians é de 2,5 milhões de euros (R$ 7,4 milhões) pelo atacante. "Meu empresário está na Europa cuidando disso", comentou Jô. Os dirigentes corintianos pretendem retardar ao máximo a saída de Jô, pois o elenco está ficando sem atacantes e Kia segue na Europa encontrando muitas dificuldades para contratar Liedson e/ou Vágner Love. Com Tevez na Seleção Argentina e Bobô na Seleção Brasileira Sub-20, Márcio tem apenas Jô, Gil e Wilson como atacantes no elenco, sendo que Gil está machucado e Wilson também pode ser negociado em breve. Sem jogos para disputar (o próximo é só dia 12, contra o Flamengo), o time segue treinando fisicamente e, segunda-feira, vai para Águas de Lindóia (SP), para intensificar os treinamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.