Márcio: ?Futebol é assim. A vida segue?

Depois de 17 vitórias, cinco empates e seis derrotas no comando técnico do Corinthians, Márcio Bittencourt se despediu do clube com um discurso ?politicamente correto?. Ele tentava esconder um certo e natural desapontamento pela decisão da diretoria do Corinthians. ?Faz parte do futebol. Vida que segue?, comentou, resignado, numa entrevista demorada, logo após o jogo contra o Flamengo, na Ilha do Governador. ?São poucos os treinadores do Brasil que têm uma oportunidade como essa?, disse, referindo-se à sua efetivação como técnico do time depois da saída de Daniel Passarella, em maio. O treinador agradeceu à diretoria, à torcida e aos jogadores do clube. Disse que não se sentiu apunhalado e que o único pedido feito aos dirigentes do Corinthians nos últimos dias foi de que gostaria de ser informado sobre uma eventual mudança antes de a imprensa tomar conhecimento do caso. ?No Brasil, a maioria (dos técnicos) sai (do clube) com um telefonema. Eu fui atendido na minha solicitação?. Com os olhos embaçados, depois de ficar no vestiário por mais de 30 minutos com os atletas, Bittencourt afirmava a cada instante que este domingo não era um dia de tristeza. ?Não estou frustrado. Se o Corinthians for campeão, o Márcio vai ter participação também na conquista?, declarou, sempre falando pausadamente, como se analisasse o peso de suas palavras, a fim de evitar algum tropeço. Quanto à possibilidade de continuar na equipe, disse que ainda era cedo para abordar o assunto. Quer descansar entre 10 e 15 dias e só depois decidir o que fazer. Mas não descartou a hipótese de trabalhar como auxiliar-técnico de Antonio Lopes. ?Quando terminar o meu descanso, volto a pensar no meu futuro. Estou engatinhando na profissão, não tenho pressa?. Ao saber da entrevista de Tevez, que criticara a medida da diretoria do Corinthians e lhe fizera vários elogios, Bittencourt também foi cauteloso. Desviou o foco da pergunta e respondeu que o grupo ?é forte? e com o qual manterá relação próxima. ?Não vou deixar esses jogadores?, disse, numa frase que soou mais como uma declaração de amizade do que como um possível compromisso de continuar trabalhando na casa. ?Eu não tenho que questionar nada. Tenho de ficar feliz. Graças a Deus aconteceu algo muito importante em minha vida e logo no começo de minha carreira?. Para o vice-presidente do Corinthians, Andres Sanchez, Márcio Bittencourt saiu ?para ser preservado?. ?Futebol não é só resultado?, afirmou, contrapondo-se à máxima famosa no meio esportivo há várias décadas ? a de que futebol é, sim , resultado. O dirigente ressaltou que Antonio Lopes é um nome experiente e que traz no currículo, entre outros títulos, o de pentacampeão do mundo como coordenador-técnico de Luiz Felipe Scolari na Copa de 2002, na Coréia do Sul e Japão. ?Ele é disciplinador, mas não é linha dura?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.