Márcio lança quarteto mágico corintiano

Pressionado por quatro jogos sem vitórias, pela queda da liderança para o 4º lugar do Brasileiro e, principalmente, pelos fortes rumores de que perderá o emprego, Márcio Bittencourt resolveu ousar no clássico de quarta-feira, às 16 horas, diante do São Paulo, no Morumbi. Apostará na versão corintiana do ?quadrado mágico? da seleção, trocando um volante por um atacante. Em vez de Kaká, Ronaldo, Robinho e Adriano, vai de Roger, Nilmar, Tevez e Jô. ?Nós nos movimentamos bem. Cada um, além de atacar, se preocupou em defender quando estava sem a bola. Criamos várias jogadas ofensivas. Acho que poderemos dar certo jogando juntos. Somos muito técnicos?, avaliou Nilmar. No coletivo de hoje foi fácil perceber que o ?quadrado mágico? ou os ?quatro cavaleiros do Apocalipse?, como brincaram alguns jornalistas, tinham dois momentos distintos. De posse da bola, o time se mostrava mais leve e criativo. Nilmar é inteligente e sabe se movimentar bem entre os marcadores rivais. O problema acontecia quando perdia a bola. Havia espaço demais para os reservas. ?Se vamos jogar nessa formação, precisamos ter o máximo de cuidado para não ficarmos vulneráveis. O São Paulo tem ótimo ataque?, alertou Betão. Para que o quadrado mágico tenha mais tranqüilidade quando o Corinthians estiver sendo atacado, Márcio acabou travando os laterais. Eduardo e Ronny foram proibidos de apoiar. Embora todos desmintam, há um clima tenso para o jogo. Ninguém no Corinthians esqueceu da goleada sofrida no primeiro turno por 5 a 1, que custou a demissão de Daniel Passarella. Márcio era auxiliar e viu o vexame. ?Vamos tentar separar as coisas, não dá para ficar falando em revanche. Aquela derrota foi histórica, mexeu com o grupo, mas o time reagiu, tanto que ficou na liderança do Brasileiro por várias rodadas?, desconversou Betão. A boa notícia foi a recuperação de Tevez. Ele voltou de Buenos Aires e participou normalmente do coletivo. Estava livre das dores na perna direita. Em compensação, Fabrício sentiu tendinite na perna direita e está fora. Marcelo Mattos, com dores musculares, é problema. Na parte política, o presidente Alberto Dualib disse a conselheiros que voltará a Londres para se encontrar com Boris Berezovski.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.