Marco Aurélio dispensa favoritismo

O técnico do Cruzeiro, Marco Aurélio, não quer saber de qualquer insinuação de favoritismo da equipe na decisão da Copa Sul-Minas, domingo, em Belo Horizonte, contra o Atlético-PR, embora os mineiros precisem apenas de um empate para garantir o bicampeonato. De acordo com o treinador, o adversário é um dos grupos mais fortes e bem treinados do futebol brasileiro e a partida deve ser tão difícil quanto a disputada em Curitiba, no último fim de semana, na qual o Cruzeiro bateu os paranaenses por 2 a 1. "No primeiro jogo, o Atlético-PR poderia ter saído na frente e mudado o resultado, fazendo mais gols, e aqui vai ser a mesma coisa", disse. "O Cruzeiro precisa fazer uma grande partida para ficar com o título", completou. Para ajudar o time, a diretoria cruzeirense reduziu os preços dos ingressos, disposta a lotar o Mineirão mesmo com a garantia de transmissão do jogo pela TV para a capital. O lateral Sorín, que se despede da equipe neste domingo - ele defende a Argentina na Copa do Mundo e, depois, apresenta-se à Lazio, da Itália -, espera que pelo menos 90 mil torcedores compareçam. "Temos a chance de conquistar pela segunda vez um título muito importante e tenho certeza que os cruzeirenses vão nos apoiar em grande número." O time treinou na manhã desta quinta-feira e foi liberado até a tarde de sexta-feira, o que possibilitou ao atacante Edílson, também da seleção brasileira, viajar para Salvador, onde inauguraria uma casa de apoio a crianças carentes no bairro onde cresceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.