Marco Polo apóia decisão do Santos

O presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, não vê nada demais na decisão do Santos de transferir a partida com o São Paulo, domingo, da Vila Belmiro para Mogi-Mirim. A diretoria do Santos, dona do mando de campo, achou melhor tirar o clássico da Vila ao perceber que o São Paulo poderia comemorar lá o título. Fez o pedido à FPF, que não se opôs. "Demos a eles 6 opções de estádios (em Ribeiro Preto, Rio Preto, São Caetano, Jundiaí, Campinas e Mogi). Eles optaram por Mogi?, disse Del Nero, sem revelar por que o Santos optou por um estádio com capacidade para apenas 17 mil pessoas. "Na Vila cabem 19 mil, talvez fosse mais arriscado jogar lá.? De qualquer maneira, a PM de Mogi-Guaçu, responsável pelo policiamento em Mogi-Mirim, considerou o jogo como "de risco? e vai colocar 300 policiais para fazer a segurança. A PM de São Paulo vai colaborar, com 35 homens da Rocam que escoltarão os ônibus das torcidas organizadas desde São Paulo, e também na volta. Os 5.900 ingressos para os são-paulinos já foram vendidos, de acordo com o major Getúlio Aparecido, sub-comandante no 2.º Batalhão do Interior. "E da cota do Santos (11.100 bilhetes), faltam vender pouco mais de mil?, garantiu hoje. Domingo, os portões serão fechados às 12 horas, quatro horas antes do início da partida.

Agencia Estado,

01 de abril de 2005 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.